Educação

ESCOLA SEM PARTIDO

Escola sem Partido quer botar delegados para dar aula no Colégio Pedro II do RJ

terça-feira 19 de setembro| Edição do dia

Foto: Colégio da Polícia Militar na Bahia

O reacionário movimento Escola sem Partido está por trás da organização do seminário "Educação, Crimes Contra Menores e Questões Éticas e Morais" convocado para o dia 21 de outubro no Campus São Cristovão do Colégio Pedro II. Este seminário nada tem a ver com educação, já que não terá nenhum educador graduado ou capacitado para dar palestras sobre o tema.

Pelo contrário, delegados de polícia sem nenhum preparo estão convidados a dar aula para jovens e adolescentes no Colégio Pedro II. Com 5 delegados, um juiz e a ex chefe da polícia civil, Martha Rocha, que, diga-se de passagem, tem partido, o evento conta ainda com presidência de honra de Pedro Alberto de Orleans e Bragança, que vive de imposto dos cidadãos de Petrópolis e ainda quer voltar a ser rei do Brasil.

O evento conta com o apoio da Polícia Civil do RJ, que divulgou o seminário em sua própria página oficial, a página institucional da polícia civil do RJ. Veja aqui. O evento é organizado pela Associação de Juízes Federais do RJ e ES, Sindicatos de Delagados da PF do RJ e Associação Nacional desta categoria, Sindicato de delegados da Polícia Civil, o Centro de Segurança, Civilização e Direitos Humanos - SEGDH, além da Academina Brasileira de Filosofia.

Com tantos delegados em sua organização, assim como nas próprias palestas (5 delegados dentre 12 palestrantes no total), o evento deveria mudar de nome, substituindo "ética" por encarceramento e "educação" por repressão.

As únicas duas associações (ABEF e SEGDH) que não são de policiais ou de juízes, demonstram pelo menos seu completo desconhecimento sobre o tema, já que desde a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, ninguém usa mais o termo "menores" para se referir à estes indivíduos! Só mesmo a polícia e reacionários programas de TV do tipo "Brasil Urgente".

Mas verificando as "mesas" das "palestras", rapidamente descobrimos que por trás disto tudo está o movimento escola Sem Partido, e seu fundador, Miguel Nagib, pretende falar às 15:30h sobre "Doutrinação Ideológica Partidária nas Escolas", depois de tanta doutrinação por parte de delegados e juízes, que no fundo querem transformar o colégio Pedro II nisto daqui:

Reacionários querem impor este projeto Escola Sem Partido para calar a juventude que ocupou escolas e que não aceita calada, nem a opressão de gênero, racista ou LGBTfóbica, nem os ataques do governo golpista que quer fazer com que a juventude, em especial, pague pela crise capitalistas. Por isso chamam policiais, expõem professores, tentam de todas formas interferir no conteúdo da sala de aula. Defendem um partido sim, o partido da classe dominante. Por isso não podemos deixar passar este projeto, nem as manifestações destes reacionários.




Tópicos relacionados

Escola sem partido   /    Educação   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade   /    Juventude

Comentários

Comentar