Política

Em sabatina, Alckmin prometeu privatizações, cogitando até a Caixa Econômica Federal

Em sabatina realizada por representantes da indústria de construção, Alckmin já deixou bem claro ao que sua candidatura veio: mais privatizações a ataques.

Mariana Duarte

Estudante de Letras da USP

quarta-feira 8 de agosto| Edição do dia

Nos últimos dias o pré-candidato à presidência Geraldo Alckmin, foi sabatinado por representantes da indústria de construção e questionado a respeito de possíveis novas privatizações que poderia fazer em seu governo. O presidenciável confirmou que irá realizar uma série de privatizações e apontou que o “objetivo é ter mais bancos e mais financiamentos”, contrariando até declarações recentes suas que diziam que os bancos públicos estariam poupados, admitiu que estuda a privatização da Caixa Econômica Federal. Garantido ainda mais concentração do mercado financeiro na mão dos bancos privados e dos oligopólios familiares que os controlam, e que são os donos da dívida pública.

Alckmin em outra declaração absurda defendeu o projeto de lei que tramita no Congresso de aumento de agrotóxicos, projeto que já foi repudiado por uma série de instuições da saúde e em defesa do meio ambiente.

Sabemos que sua candidatura está a serviço de seguir o caminho do golpe institucional, que hoje tem sua expressão na prisão arbitrária de Lula, impedindo que este possa ser candidato. A operação Lava Jato que veio a serviço disso, hoje escolhe a dedo o candidato que será eleito a partir de um processo totalmente anti democrático, que sequestra o direito ao voto da população.

O Esquerda Diário, em contrapartida como lançamos nossas candidaturas nos últimos dias, se coloca a serviço da construção de candidaturas nessas eleições contra a continuidade do golpe de uma forma independente do PT que é o principal responsável por abrir espaço para a direita reacionária do golpe institucional.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    PSDB   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar