Política

DÓRIA BENEFICIA IGREJAS

Dória perdoa o IPTU e as multas das Igrejas e os vereadores de SP abençoam a regalia

sexta-feira 23 de junho| Edição do dia

Os vereadores de São Paulo aprovaram nesta quinta a anistia do IPTU e de multas devidas pelas igrejas ao município de São Paulo. A regalia foi concedida por Dória em seu "Programa de Parcelamento Incentivado" criado para beneficiar seus amigos "gestores", empresários capitalistas que dependem que parasitam os recursos do município.

Dando um desconto entre 60% e 85% aos contribuintes que decidirem quitar suas multas com o município, à vista ou à prazo, a Igreja saiu na frente e quitou tudo graças ao troca-troca de apoio abençoado entre a "bancada cristã" e o prefeito higienista. Por lei, templos religiosos são isentos de tributos, mas a imunidade só é concedida após a conclusão de um rito burocrático dentro da Prefeitura, que exige dos templos, entre outros itens, alvará de funcionamento do imóvel onde são realizados os cultos e registro do imóvel ou contrato de locação em nome da igreja.

Eduardo Turma, vereador do PSDB, declarou que "Nosso intuito é fazer justiça a uma entidade que auxilia o Estado, que não visa o lucro e recupera a sociedade, como no caso dos dependentes químicos". Desta forma, Dória compra também o silêncio da Igreja com relação às violações dos direitos humanos cometidas com o brutal despejo e demolição de casas de usuários em situação de risco na "Cracolândia"->http://www.esquerdadiario.com.br/URGENTE-Doria-destroi-imoveis-na-Cracolandia-com-moradores-dentro-e-deixa-feridos ].

A parceria entre Dória, a bancada cristã e os Bispos da Igreja, obviamente, nada tem de caridade. O tem em comum é uma visão machista, que não é unanimidade entre todos os padres, mas é fundamentalmente propagada pela visão de "tradicional família cristã" patriarcal e machista aonde a mulher, como já declarou Dória, tem uma “propensão natural a artes, cultura e lazer” enquanto o homem é o "chefe da casa".

Desta forma, uma mão lava a outra: o alto escalão da Igreja segue existindo com o privilégio de não pagar impostos e vivendo de vender a Fé, enquanto patrocina sua própria bancada de políticos envolvidos em projetos reacionários e escandalosos esquemas de corrupção, além de ter em comum com Dória a defesa dos ataques aos trabalhadores, defendendo por exemplo a Reforma da Previdência na "Marcha Para Jesus" na semana passada, enquanto curiosamente procurava uma previdência privada para seus próprios funcionários.

Leia também: Demagogia de Dória: Prefeito gastou R$ 24,5 mil com locação de veículos blindados




Tópicos relacionados

Igreja Católica   /    João Doria   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar