CORONAVÍRUS | DORIA E COVAS

Doria e Covas constroem colapso em SP: quase 90% dos leitos ocupados, e ainda sem testes

quarta-feira 6 de maio| Edição do dia

O Estado de São Paulo já passa das 3 mil mortes pelo novo coronavírus, e o descaso dos governos estadual e municipal de João Doria e Bruno Covas segue nos conduzindo para a catástrofe. Enquanto Doria se pinta diariamente de “razoável” frente ao negacionismo bossal de Bolsonaro, cresce a falta de leitos de UTI, e se mantém a subnotificação à níveis cavalares.

São Paulo já tem quase 90% dos leitos de UTI ocupados (cerca de 86%) mesmo após liberação de novos leitos nos hospitais do estado, avançando para um cenário próximo ao do Rio e de Manaus a cada dia que passa. Enquanto isso, o governo segue apostando numa retórica de isolamento sem testes, deixando a população no escuro.

Na semana passada denunciamos aqui que Doria e Covas mantém na gaveta mais de 1 milhão de testes, no aguardo da liberação da Anvisa, que segundo eles, pode levar até 15 dias. Brincam com o tempo e a vida das pessoas enquanto a curva do COVID-19 não para de crescer, e a ocupação dos leitos vai avançando para seu limite.

A falta de medidas efetivas vêm desde o início da crise do coronavírus, com um plano de testagem com números ridículos, totalmente insuficiente para garantir o mapeamento real do vírus no estado. Junto com isso Doria e Covas tentam garantir um acordo com os hospitais privados, para não atacar os lucros dos capitalistas da saúde, e poder usar seus leitos. Mesmo com ameaças demagógicas de Covas de utilizar os leitos do sistema privado de saúde sem ter chegado a um acordo, nenhuma medida para a utilização da estrutura da rede privada que segue ociosa, foi tomada ainda.

Enquanto em todo o estado crescem os casos, e diminuem os leitos disponíveis, nada é feito pelos governos para que toda a estrutura disponível na rede privada esteja a disposição do SUS, e dos interesses da saúde da população frente à crise sanitária.

Por isso, é preciso exigir de Doria e Covas, que, frente a altíssima ocupação dos leitos públicos do estado de São Paulo, toda a estrutura da rede hospitalar privada seja colocada imediatamente à disposição do SUS, sob controle das e dos trabalhadores da saúde, em função de atender às necessidades da população mais necessitada. E isso sem gastar um centavo sequer para o bolso desses capitalistas, que lucram com a vida e a morte das pessoas, enquanto milhares morrem sem sequer ter acesso a um leito de UTI, ou de serem testados. É necessário ter seus leitos, e todos os equipamentos à disposição, aumentando a carga de insumos, de respiradores, e de corpo médico para atender a população, sem qualquer cobrança,

Junto com isso é preciso também exigir destes governantes “razoáveis” que parem imediatamente com a política assassina de subnotificação, deixando à mercê da sorte a vida dos trabalhadores e de suas famílias, e que haja testes massivos para a população das cidades do estado de São Paulo. Chega de enterrarmos mortos sem saber se estavam ou não contaminados, chega de obrigar médicos a mandarem pacientes com sintomas e suspeitas de volta para casa sem saber se estão ou não com o vírus. Só assim poderemos combater a pandemia e a crise sanitária sem que o preço seja a vida de milhares de trabalhadores e trabalhadoras.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Saúde Pública   /    Bruno Covas   /    João Doria   /    Saúde

Comentários

Comentar