Política

Diana Assunção: "Lava Jato mira em Lula, mas seu objetivo é facilitar ataques aos trabalhadores"

quarta-feira 14 de setembro| Edição do dia

Enquanto mais de 60% do Congresso, incluindo senadores e deputados, estão envolvidos em crimes comprovados, respondem a ações penais ou mesmo já foram condenados em primeira instância, o Ministério Público, na figura do procurador-chefe da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, "revelou" que o PT é a origem da corrupção no país. Sem provas, "denunciou" que Lula seria "o maestro de uma organização criminosa" responsável pelo esquema de corrupção da Petrobrás". Isso vem dias após a consolidação do golpe institucional no Senado com a remoção definitiva de Dilma Rousseff da presidência e a posse de Temer.

A hipocrisia do judiciário golpista está às claras: é certo que o PT assimilou toda a corrupção própria dos capitalistas e dos partidos tradicionais da direita; entretanto, não fez mais que absorver o modus operandi de toda a direita mais corrupta que povoa as instituições dessa democracia dos ricos.

Era de se esperar a postura ofensiva de juízes elitistas, cheios de privilégios e com mil relações com o capital estrangeiro, para aproveitar até o final o golpe institucional. Anunciam reformas da previdência e trabalhista, discutem no senado a restrição e a censura ainda maior do sistema político contra a esquerda, esperaram cassar o Cunha para dar uma cara “limpa” para seus ataques, e agora querem criar melhores condições para fazer todos esses ataques, debilitando Lula e o PT. Enquanto isso, instalam no país o autoritarismo judiciário como forma de ser do regime político burguês. Com os métodos antidemocráticos das delações premiadas, da condução coercitiva, das interceptações e grampos, buscam fortalecer o poder repressivo do Estado para tornar mais vulneráveis os direitos de organização e luta da classe trabalhadora.

Atacam Lula e o PT não porque o PT discorde em ser um gestor do capitalismo brasileiro, ou não tenha aplicado pesados ajustes, terceirização, alianças com a direita e um longo repertório de agravos aos direitos dos trabalhadores, das mulheres e da juventude. Mas sim porque os que querem avançar são a direita mais nefasta do país que “não se contenta com pouco”, querem levar a retirada de direitos, as privatizações, os ajustes no limite de seu conservadorismo, num ritmo muito maior do que conseguia aplicar o PT.

Nós lutamos contra o golpe institucional de maneira independente do PT a poucas semanas e, mesmo sendo muito críticos a Lula e os métodos do PT, não podemos deixar de denunciar que a Lava Jato e essa operação é um grande teatro que finge lutar contra a corrupção enquanto deixa intactos as centenas de golpistas e de empresários e banqueiros corruptos que vivem tranquilos assistindo a peça do avanço da direita no Brasil. Facilitando a entrada do capital estrangeiro no país e a entrega dos recursos estratégicos brasileiros ao imperialismo, como o petróleo, a Lava Jato busca apenas substituir um esquema de corrupção com a cara petista por um esquema de corrupção com o rosto da direita.

Mas se querem avançar contra os trabalhadores e seus direitos com as reformas, devem saber que vamos mobilizar tudo o que pudermos, nas fábricas, nos locais de trabalho, nas universidades na resistência aos ajustes desse governo ilegítimo. Por isso exigimos das centrais sindicais ligadas ao PT, a CUT e a CTB, que até agora foram cúmplices do golpe institucional com a estratégia lulista de "oposição responsável e pacífica", que ponham fim à sua passividade e organizem as bases dos trabalhadores para lutar seriamente contra os ajustes de Temer e o avanço da direita, convocando uma greve geral já que paralise os principais centros econômicos do país. Por isso nós do MRT lutaremos. Não passarão.




Tópicos relacionados

Impeachment   /    Poder judiciário   /    Política

Comentários

Comentar