Política

ELEIÇÕES 2016 RIO

Dez novos motivos para não votar em Crivella

O segundo turno das eleições cariocas está na sua reta final, e o bispo da Igreja Universal, Marcelo Crivella (PRB), ainda está em vantagem nas pesquisas, com a maior intenção de voto para a prefeitura da segunda maior capital do país. Ele representa o que há de mais atrasado e conservador na política nacional, e por isso trazemos aqui dez motivos a mais – além dos que apresentamos no primeiro turno – para não votar nele.

segunda-feira 24 de outubro| Edição do dia

No primeiro turno, apresentamos doze motivos para não votar em Crivella, um artigo que foi muito lido e compartilhado. Veja abaixo outros dez motivos:

1- Seu partido, o PRB, apoiou integralmente, com todos seus deputados votando a favor, a PEC 241, também conhecida como a “PEC do fim do mundo”, que congela os gastos sociais no país, como aqueles com saúde e educação, por vinte anos. É um projeto feito sob medida pelo golpista Temer para fazer com que a crise criada pelos capitalistas seja paga pelos trabalhadores, a juventude e o povo pobre, enquanto os lucros dos patrões e o pagamento da dívida pública para banqueiros e especuladores segue intocado. O povo do Rio de Janeiro será drasticamente afetado caso seja aprovada definitivamente essa PEC.

2- Em sua carreira religiosa, como Bispo da Igreja Universal e “missionário” que levou essa lucrativa empresa para a África, Crivella destilou todo o racismo, machismo, homofobia e intolerância religiosa que essa instituição representa. Uma boa parte disso pode ser encontrada em seu livro – que ele escondia do público para melhor vestir sua nova máscara “humanitária” – “Evangelizando na África”. Vocês podem conhecer um pouco mais do conteúdo dessa obra clicando aqui.

3- Crivella é apoiado pela família Jerominho, como ficou explicitado a todos no vídeo gravado por Carminha Jerominho em que ela declara abertamente esse apoio. Essa família é envolvida com as milícias que controlam a zona oeste da cidade e levam terror, violência, assassinatos para a população que mora nas comunidades. Eles apoiam Crivella pois sabem que com essa direita no poder seus negócios estão garantidos, seus esquemas com a polícia e o Estado permanecerão intocados, e lucrando muito.

4- Como Bispo, Crivella era na verdade mais um capanga da empresa mafiosa de Edir Macedo. Isso veio à tona na reportagem da revista Veja que evidencia o caso ocorrido em 1990, quando Crivella entrou num terreno de propriedade da Universal com quatro homens armados para ameaçar um vigilante particular que havia ocupado o terreno para morar com a sua família. Esse método de gângster é o que Crivella usa em sua “missão religiosa”.

5- A Igreja Universal, na qual Crivella é bispo e o proprietário é seu tio Edir Macedo, é uma das maiores “empresas da fé” no mundo. Segundo a própria igreja, são 8 milhões de seguidores e 15 mil pastores distribuídos em 105 países. Constroem mega-templos como o Templo de Salomão em São Paulo, que custou R$ 400 milhões, e dois do mesmo porte estão a caminho em Curitiba e Brasília. São donos da emissora Record, de gravadoras, editoras, rádios, jornais, sites e revistas. Produzem filmes e novelas caríssimos. Em 2013, estimava-se que as Igrejas arrecadavam um total de R$ 20 bilhões no Brasil, sendo cerca de R$ 2 bilhões somente da Universal. Essa instituição poderosíssima está completamente isenta de impostos: de toda a fortuna de Edir Macedo e Crivella, nem um centavo vai para os serviços públicos que atendem a população.

6- Crivella se beneficia enormemente dessa exploração da fé alheia, como demonstramos em um vídeo gravado em frente ao luxuoso “bairro particular” Península da Barra, onde vive Crivella e os apartamentos podem chegar a custas R$ 12 milhões de reais.

7- Mas os lucros da Universal não são suficientes para Crivella, que está sendo delatado por Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, por ter feito caixa 2 para financiar sua campanha ao Senado em 2012, com um desvio de verbas de R$ 12 milhões de reais da estatal.

8- Crivella tem utilizado seu tempo de televisão para fazer uma campanha reacionária contra os movimentos sociais, como as ocupações de escola, dizendo que ocupar escolas para fazer política e pregar a revolução é crime. Ele representa a linha dura que quer calar os estudantes que hoje se levantam nacionalmente, com mais de mil ocupações de escolas, IF, universidades para dizer não à PEC 241 e à Reforma do Ensino Médio dos golpistas.

9- Ele é apoiado nesse segundo turno por todos os candidatos que representam a direita conservadora e golpista que se unificou para defender uma candidatura que representa os ataques contra os trabalhadores e a juventude: Indio da Costa (PSD) está na televisão nos horários de Crivella para chamar voto para ele. O PSDB apoia, ainda que não dê a cara na televisão. Os abomináveis Bolsonaro, fascistas que querem acabar com a esquerda e com qualquer direitos dos trabalhadores, também estão com Crivella. Mal havia terminado o primeiro turno, e Crivella estava correndo atrás desses apoiadores.

10- Crivella se aproveitou da estrutura completamente antidemocrática das eleições para fugir aos debates televisivos com Freixo, cancelando sua presença em vários, como do SBT, Globo e Record, e impedindo os eleitores de verem frente a frente os candidatos à prefeitura, exceto em dois debates: da Rede Bandeirantes e da RedeTV. Agora que vieram à tona diversas acusações contra ele, Crivella voltou a se esconder e não divulga mais sua agenda eleitoral.




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Eleições 2016   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar