Política

TSE

Defensor dos privilégios do judiciário, Luiz Fux assume TSE nesta terça

Nesta terça-feira, 06, o ministro Luiz Fux, mais um dos defensores do golpe institucional e conhecido pela lei da ficha limpa, assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), até dia 15 de agosto, sendo também responsável por organizar as eleições neste ano.

terça-feira 6 de fevereiro| Edição do dia

Fux, conhecido como “punitivista” assumirá o lugar de Gilmar Mendes no Tribunal, e será responsável, até o dia 15 de agosto, pelas eleições deste ano, que definirá a presidência do país e os governadores dos estados.

O ministro é conhecido pela defesa da ficha limpa e por querer restringir o foro privilegiado aos políticos, dando uma cara mais “dura” ao TSE segundo os analistas, mas é Fux quem negou uma ação popular para barrar o pagamento de R$ 4,3 mil em auxílio-moradia a magistrados, promotores e conselheiros de Tribunais de Contas, mostrando que seu compromisso é na verdade com os privilégios do judiciário.

Sua Filha, Marianna Fux, desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, graças ao pai, recebe esse auxílio de R$ 4,3 mil, mesmo sendo proprietária de dois imóveis no Leblon, avaliados em mais de $2 milhões de reais.

Além de ter o compromisso de manter e aprofundar os privilégios dos juízes, eleitos por ninguém, Fux ainda é um dos que defendeu que o julgamento da chapa Dilma-Temer que absolveu o presidente golpista no ano passado, dizendo que foi uma a votação “técnica” e não política, e que ocorreu de forma independente, prevalecendo a vontade da maioria, o que qualquer um pode ver que é uma completa mentira.

O ministro com pose de “combate a corrupção” é na verdade parte da casta privilegiada que enriquece às custas da população, se utilizando dos métodos mais arbitrários, como vimos no julgamento de Lula, para reprimir os trabalhadores, a esquerda, os movimentos sociais e os negros no país. Responsável até agosto por organizar as eleições deste ano, que mesmo numa “democracia” onde poucos têm voz e poder já começou atacando o direito do povo de votar em quem quiser.

Contra esse enorme ataque junto à votação da reforma da previdência no próximo dia 20, mostrando o avanço do golpe, é que nós do Esquerda Diário impulsionamos uma campanha exigindo das centrais sindicais que chamem uma greve geral imediata e organizada desde a base dos trabalhadores, para barrar a reforma da previdência e em defesa do direito do povo votar em quem quiser.




Tópicos relacionados

TSE   /    Eleições 2018   /    "Partido Judiciário"   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar