Política

JUDICIÁRIO AUTORITÁRIO

Curitiba: justiça proíbe manifestações e determina reintegração de posse do acampamento do MST

quarta-feira 10 de maio| Edição do dia

Em continuidade às decisões judiciais arbitrárias recentes contra manifestações durante o depoimento de Lula em Curitiba, hoje o juiz federal de Porto Alegre Friedmann Wendpap determinou, por meio de uma liminar, a reintegração de posse do terreno onde o MST está acampando em Curitiba.

Após proibirem o acesso às imediações da sede da Justiça Federal, onde estava previsto acontecerem as manifestações, contrariando o outrora tão sagrado direito de ir e vir invocado por eles mesmos para deslegitimar atos de rua, agora utilizam toda a urgência (e truculência) para desalojar os manifestantes que estão acampados num terreno sem uso, claramente para tentar criminalizar e enfraquecer o movimento.

Os membros do judiciário querem cada vez mais se colocar como algo intocável, e para isso estão criminalizando quem os questiona. Não podemos aceitar isso. Precisamos acabar com os privilégios dos juízes, que acham que podem mandar e desmandar sem se sentirem na obrigação de responder à população, porque não foram eleitos, mas que julgam em nome da "luta contra a corrupção" no país substituindo uma modelo de corrupção por outro. É necessário acabar com os privilégios dos juízes, e tornar todos cargos elegíveis, revogáveis e que ganhem como uma professora.




Tópicos relacionados

MST   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar