Política

JUDICIÁRIO

Cunha e Alves são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro por suspeita de propina

quarta-feira 21 de junho| Edição do dia

Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves estão sendo denunciados pelo MPF golpista por corrupção e lavagem de dinheiro (Operação intitulada "Manus", um dos desdobramentos da Lava-Jato). Ambos estão presos em prisões domiciliares e sendo beneficiados, desta forma, pela Justiça, mesmo após denúncias. As doações oficiais e não oficiais totalizaram R$ 11,5 milhões ao dois políticos, além de mais R$ 4 milhões que teriam sido repassados a dois clubes de futebol do Rio Grande do Norte a pedido de Alves. Também foram denunciados pelo MPF Léo Pinheiro, presidente da construtora OAS, e outras três pessoas que não foram citadas em matéria hoje do Globo.

VEJA TAMBÉM | Oligarca do Rio Grande do Norte, Henrique Alves tem longa trajetória de corrupção

Cunha e Alves são acusados pelos procuradores de terem recebido propinas entre 2012 e 2014 como "doações eleitorais". Em troca, afirma o Ministério Público, eles teriam atuado para beneficiar empreiteiras como OAS e Odebrecht, que fez acordo de delação premiada. Tanto uma quanto a outra teriam sido feitas por meio do diretório nacional do PMDB e do diretório do PMDB no Rio Grande do Norte.

O MPF pede que ambos sejam condenados ao pagamento de R$ 15,5 milhões por danos materiais e morais para ressarcir os crimes que teriam cometido por terem feito parte de um “grupo criminoso organizado” com o intuito de obter “vantagem financeira” das empresas, segundo o jornal O Globo. Os dois ex-parlamentares foram poupados pelo MPF golpista e acabaram não sendo denunciados por "organização criminosa", afirmando que esse crime estaria sendo investigado em outro inquérito.

A propina teria sido paga pela OAS para que os deputados atuassem politicamente em prol dos interesses da empreiteira. Segundo o MPF, Henrique Alves solicitou em 2013 que a OAS repassasse ao menos R$ 4 milhões para dois clubes de futebol, sendo R$ 2 milhões para cada time. Já a denúncia que envolve a Odebrecht abarca a privatização da Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte onde a empreiteira tinha interesse.




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Eduardo Cunha   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar