Sociedade

SOLIDARIEDADE

Criolo demonstra apoio e solidariedade a luta da etnia Mundurukus

Rafaella Lafraia

São Paulo

quinta-feira 21 de julho de 2016| Edição do dia

A etnia Mundurukus (autodenominados Wuyjuyu ou Wuy jugu), que antigamente ocupava áreas ao longo do rio Krepori e Tapajós e que, atualmente, se restringem em uma área de 1.780 km², que ainda não foi regulamentada pelo Governo Federal, estão passando por uma ameaça de perda de território, que será utilizado para construção de uma usina hidrelétrica, no rio Tapajós, no Pará.

Segundo dados, a usina de São Luiz, irá gerar 4.012 MW, mas, em contrapartida, vai alagar parte da floresta amazônica, na qual tem terras sagradas desta etnia indígena. A construção da hidroelétrica, apelidada de Nova Belo Monte, já passa por resistência por estes indígenas, que, nos últimos dias, ganharam o apoio do cantor e compositor Criolo, que visitou a região e declarou que os indígenas lutam para “floresta não virar cemitério alagado e rio vivo não virar lago morto”. Este apoio veio em uma publicação em seu Facebook.

Apesar da necessidade de implantação de mais de 206.000 MW, no Brasil, para atender a necessidade do país, a construção da usina de São Luiz trará impactos irreversíveis para os povos que habitam a região. Assim como o rapper, nós do Esquerda Diário prestamos nossa solidariedade a luta do povo indígena e acreditamos que seus direitos só serão alcançados quando tais decisões sejam tomadas pela classe trabalhadora em conjunto com os povos originários e as populações tradicionais, pois estes realmente sabem o que deve ser feito, quando e onde, sem que haja prejuízo para nenhuma das partes.

Publicação de Criolo, em sua página do Facebook, na íntegra: Estive na região do Rio Tapajós, no coração da Amazônia, para apoiar a luta do povo Munduruku contra a construção de uma usina hidrelétrica que, se sair do papel, irá alagar a floresta onde vivem e tiram seu sustento. Lutam pra salvar seu rio, nosso rio que é lindo, que é vida. Lutam pra salvar a floresta, nossa floresta que nem temos ideia do quanto é gigante e linda e o quanto já foi devastada. Lutam pra floresta não virar cemitério alagado e rio vivo não virar lago morto. Lutam por seu povo e pela sua, nossa história ancestral ‪#‎SalveoTapajós‬‬ ‪#‎SalveaAmazônia‬‬‪#‎Munduruku‬‬

Foto da matéria: Otávio Almeida




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar