Internacional

XVII CONGRESS DO PTS

Congresso do PTS-FIT proclamou Del Caño como candidato presidencial e lançou campanha para romper com o FMI

Com a presença de 300 delegados de 18 províncias, o XVII Congresso do Partido dos Trabalhadores Socialistas na Frente de Esquerda começou em Buenos Aires.

domingo 21 de abril| Edição do dia

Com a presença de 300 delegados de 18 províncias, o XVII Congresso do Partido dos Trabalhadores Socialistas (grupo irmão do MRT na Argentina) na Frente de Esquerda começou a realizar sua sessão em Buenos Aires. Após um extenso debate sobre a crítica situação nacional crítica, o congresso resolveu unanimemente propor a FIT (Frente de Esquerda e dos Trabalhadores, da qual o PTS faz parte) a candidatura presidencial de Nicolás del Caño e lançar uma intensa campanha de agitação com a seguinte declaração: "Vamos derrotar o FMI, Macri e os governadores. O Kirchnerismo, um aliado da burocracia sindical, da Igreja e dos governadores da PJ, não pode ser uma alternativa. Que a crise seja paga pelos grandes empresários, banqueiros e latifundiários. Vamos construir uma grande força política que promova a mobilização independente de trabalhadores, mulheres e jovens. Por um governo de trabalhadores".

A deputada Myriam Bregman disse que "na Argentina, quem possui o verdadeiro poder é o FMI, e sob seu mandato inevitavelmente se aprofundará a miséria de milhões, demissões, atraso e dependência do país. O FMI, como representante do capital imperialista, chama pede para o próximo governo maior flexibilidade de trabalho, o aumento da idade da aposentadoria e aumentar o IVA em necessidades básicas".

Por sua parte, o dirigente Christian Castillo Castillo acrescentou que "pela mão do FMI, o Governo de Macri está levando a Argentina para o desastre com a cumplicidade dos governadores e senadores peronistas. O kirchnerismo se apresenta como uma alternativa, mas nas províncias faz acordos com os governadores do ajuste, como Schiaretti, Bordet, Bertone ou Manzur, e não tem a intenção de romper com o FMI, medida básica da soberania nacional. Juntamente com Lavagna e Massa, porta-vozes de Cristina, propõe a renegociação com o FMI. Qualquer renegociação vai significar mais anos de ajuste contra o povo. Não há meias medidas: ou se rompe com o FMI ou o ajuste vai se aprofundar contra a maioria da população"

O Congresso do PTS/FIT também proclamou hoje Nicolás del Caño como candidato presidencial da Frente de Esquerda, para integrar uma fórmula com Romina Plá do Partido Obrero, e decidiu participar de um ato operário e internacionalista em 30 de abril, no véspera do Dia Internacional dos Trabalhadores, como parte de uma exigência de uma greve de 36 horas para preparar a greve geral para derrotar o governo do FMI.

Também foi decidido propor a companheira Myriam Bregman para encabeçar as listas da Frente de Esquerda ao Congresso Nacional para lutar por mais deputados e deputados para fortalecer a luta de mulheres, trabalhadores e jovens.

No início do congresso, os delegados definiram por aclamação a presidência honorária dos Coletes Amarelos da França e do povo da Argélia e do Sudão, que lideram rebeliões contra seus governos pró-imperialistas e na presidência efetiva a companheiras e companheiros de Zanon e da ex-Donnelley, fábricas expropriadas que estão baixo gestão dos trabalhadores, dirigentes do grupo de mulheres Pan y Rosas, referentes do movimento estudantil secundário e universitário e da intelligentsia marxista. No congresso participaram as delegações dos trabalhadores que protagonizaram lutas contra demissões nas empresas FEMSA/Coca Cola, Siam, Mondelez, além de professores, trabalhadores das principais empresas industriais e de serviços do país.

O conjunto de resoluções do XVII Congresso do PTS será publicado no domingo, último dia de deliberações, em La Izquierda Diario.




Tópicos relacionados

PTS   /    PTS na FIT   /    Internacional

Comentários

Comentar