Política

BASE ALIADA: SAÍDA DO PSDB

Condição de Alckmin para desembarque do governo é aprovação dos ataques aos trabalhadores

Nesta terça-feira (11) em visita ao interior de São Paulo o governador Geraldo Alckmin deu sua leitura sobre a reunião do PSDB ocorrida no dia anterior. Segundo o tucano síntese é um consenso em aprovar reformas, mas possivelmente se retirando de cargos do governo.

quarta-feira 12 de julho| Edição do dia

Na noite de segunda-feira (10) parlamentares, governadores e lideranças políticas do PSDB se reuniram no Palácio dos Bandeirantes para discutir possível saída dos tucanos do governo federal, fazendo um balanço sobre a necessidade de renovação do partido. Desta reunião não saiu uma definição, uma vez assunto deve ser tema de convenção, e passar pela executiva do partido. Segundo comunicaram à imprensa, não havia consenso nas posições dos líderes.

Nesta terça-feira (11), o governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin visitou a cidade de Ribeirão Bonito no interior do estado para assinar convênios no município, e durante esta visita deu declarações sobre a reunião das lideranças ocorrida no dia anterior, apontando que apesar de diferentes posições, em sua visão houveram algumas sínteses que estas as figuras do partido chegaram, mesmo sem chegar a uma decisão definitiva.

O governador deu sua leitura sobre o sentido geral da discussão entre as lideranças e as convergências que chegaram, o que dá sinais sobre o rumo que o partido que deve tomar. Segundo ele entre as lideranças que se reuniram é consenso que o PSDB deve apoiar as reformas e projetos de lei para “medidas de interesse do país” que tratam sobre a questão do emprego e renda da população. Em outras palavras, as principais medidas que tramitam são as reformas trabalhista e da previdência, entre outras medidas impopulares, que na leitura de amplas camadas da população que tomaram as ruas nos últimos meses, fazem com que os trabalhadores paguem pela crise, salvaguardando os lucros dos grandes capitalistas às custas da retirada de direitos e precarização da vida dos trabalhadores.

Contudo, outra síntese entre as lideranças segundo o governador é que para aprovar e apoiar estas medidas propostas pelo governo Temer, é possível participar destes pactos sem ter que participar do governo diretamente, ou seja, não seria necessário, portanto, manter os cargos que o PSDB possui no governo. Esta análise de Alckmin sugere que em sua leitura o rumo da discussão é pela saída do PSDB do governo, pactuando em relação a medidas do governo que possuem grande apoio dos grandes empresários para atacar os trabalhadores, mas se diferenciando do governo federal e retirando apoio político a Temer.

Outro ponto mencionado pelo governador que vai ao mesmo sentido de ruptura do PSDB com Temer foi sua posição favorável em relação à bancada tucana na Câmara votar pela autorização para o STF apurar denúncia da Procuradoria Geral da República contra Temer.




Tópicos relacionados

PSDB   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar