DEVASTAÇÃO AMBIENTAL

Chegam a 20 os registros de casos de intoxicação devido petróleo em praia do NE

Ontem (12) registrou-se mais 1 caso suspeito de intoxicação exógena (externa) devido contato direto com o petróleo cru detectado em praias de Salvador. Os riscos à saúde, juntamente com a devastação ambiental causada por este crime, mostram o descaso do governo reacionário de Bolsonaro, que faz de tudo para entregar nossas riquezas na mão dos imperialistas.

quarta-feira 13 de novembro de 2019| Edição do dia

Em nota oficial publicada nesta terça-feira (12) a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) da cidade de Salvador confirmou o registro de caso suspeito de intoxicação exógena (externa) devido contato direto com o petróleo cru detectado em praias de Salvador. A este soma-se mais 19 casos registrados por intoxicação de voluntários, em Pernambuco.

Segundo informações da SMS a usuária do Sistema único de Saúde (SUS) apresentou tontura, cefaleia, vômitos, mal-estar, dor de cabeça, vermelhidão e febre alta como sintomas ao contato rápido com as machas de petróleo cru – contaminação devido caminhada em praia atingida pelo vazamento de petróleo, como colocado em matéria do Correio.

Confira nota da SMS na íntegra:
"A Secretaria Municipal da Saúde de Salvador confirma o registro de um caso suspeito de intoxicação exógena relacionado ao contato com petróleo cru detectado em praias de Salvador. A paciente, de 28 anos, apresentou tontura, cefaleia, vômitos, mal-estar, dor de cabeça e vermelhidão em algumas partes do corpo após alegar ter tido contato com a substância, dando entrada na UPA de Itapuã no último dia 06 de novembro. A mesma foi medicada e mantida em observação, recebendo alta no mesmo dia após apresentar melhora no quadro clínico. O caso é acompanhado pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), da SMS, e diante do exposto, a pasta reforça a importância dos cuidados referentes ao contato com o óleo cru. Após qualquer reação, o recomendável é procurar uma unidade de saúde."

Já no começo deste mês, como havíamos colocado aqui a Fiocruz havia publicado carta que defende estado de emergência em Saúde Pública diante da exposição ao Petróleo em praias no NE, sendo colocado os riscos à saúde humana, mas também os problemas socioambientais que este crime ambiental causam. Ambientalistas também já haviam relatado que o Petróleo derramado demorará décadas para ser reparado, constituindo como uma devastação ambiental. Entretanto, mesmo com todas estas informações científicas, comprovando que a grande política do governo reacionário de Bolsonaro é entregar nossas riquezas ao imperialismo a qualquer custo e sobre o suor e sangue da população, o governo ainda não tomou medidas cabíveis para a contenção do petróleo e, no meio desta crise, realizou a maior privatização de petróleo do país.

Assim, fica evidente que não devemos permitir que a destruição e entrega das riquezas brasileiras dadas de mão beijada para o capital estrangeiro, tendo os governadores do Nordeste, inclusive do PT e do PCdoB, não fazendo nem mesmo uma crítica. Muito pelo contrário, eles negociam com Rodrigo Maia, Alcolumbre e Guedes quanto que seus estados receberão dos recursos da privatização em troca da aprovação do apoio pela reforma da previdência.




Tópicos relacionados

Crime Ambiental    /    Governo Bolsonaro

Comentários

Comentar