SALÁRIO CAI CESTA BÁSICA AUMENTA

Cesta básica custará R$ 440 em algumas capitais, quase 50% do salário mínimo

Enquanto o salário mínimo tem o menor reajuste em anos, a cesta básica sofre aumento em 20 capitais brasileiras, chegando a custar quase 50% do salário mínimo. Do outro lado, juízes que recebem quase 20 vezes mais que o salário mínimo do trabalhador, pedem auxílio-moradia.

quarta-feira 7 de fevereiro| Edição do dia

Segundo pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) a cesta básica teve aumento de preço em 20 capitais brasileiras. Os maiores aumentos observados pelo Dieese foi em João Pessoa (11,91%), Brasília (9,67%), Natal (8,85%), Vitória (8,45%) e Recife (7,32%).

Pensando no custo em reais, a cesta básica mais cara foi a de Porto Alegre, que custa agora R$ 446,69, o que equivale à 46% do salário mínimo aprovado pelo governo Temer para 2018, que é de 954 reais. A segunda mais cara é do Rio de Janeiro (R$ 443,81) e São Paulo (R$ 439,20).

Cesta básica aumenta e o salário mínimo?

Este ano o salário mínimo teve seu menor aumento em anos, ficando abaixo do reajuste adequado considerando a inflação. Enquanto isso, os alimentos sobem de preço, deixando ainda mais difícil a vida dos trabalhadores brasileiros.

Utilizando a cesta básica de Porto Alegre, que teve o maior aumento em reais, como base para cálculo, o Dieese calculou que o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.752,65, ou 3,93 vezes o valor estabelecido para 2018, de R$ 954.

Enquanto isso, o governo Temer quer aprovar a reforma da Previdência, para acabar com o direito dos trabalhadores de terem uma aposentadoria digna, enquanto se aposentam com salários altíssimos. O judiciário, duela para receber auxílio-moradia, enquanto sustentam salários de 30 mil reais.

É preciso a organização da greve geral para impedir a reforma trabalhista e revogar a reforma trabalhista, responsável por aprofundar ainda mais a precarização nos postos de trabalho.




Tópicos relacionados

Cesta Básica   /    salário mínimo   /    Governo Temer

Comentários

Comentar