Educação

GREVE DOS PROFESSORES

Ato Estadual da greve da Educação Reúne milhares em Pelotas contra os ataques do Leite

Na tarde desta terça-feira (3), milhares de professores e servidores públicos de todo o estado do Rio Grande do Sul estiveram reunidos no Ato Estadual da Greve da Educação contra o Pacote de ataques do governo Leite em Pelotas.

terça-feira 3 de dezembro de 2019| Edição do dia

Na tarde desta terça-feira (3), milhares de professores e servidores públicos de todo o estado do Rio Grande do Sul estiveram reunidos no Ato Estadual da Greve da Educação, em Pelotas, cidade natal do governador Eduardo Leite. A concentração do ato se deu no largo do Mercado Público e marchou até a EEEF Professora Ondina Cunha, no centro da cidade.

A greve dos professores que começou no dia 18/11 se enfrenta com o “pacote da morte” que Leite tenta aprovar na Assembleia Legislativa. Entre os ataques estão mudanças no plano de carreira dos professores, redução das férias remuneradas para 30 dias, fim do reajuste salarial por tempo indeterminado, ataque direto ao direito dos servidores se organizar sindicalmente, entre outros.

Leia também: Rodoviários lotam audiência sobre projeto que extingue cobradores em Porto Alegre

Em meio a tentativa de Marchezan, prefeito de Porto Alegre, de aprovar o projeto que vai extinguir os cobradores do transporte público na cidade. Com a união dos professores e servidores com os rodoviários porto-alegrenses em uma greve unificada, os ataques tanto de Leite quanto de Marchezan poderiam ser detidos. É preciso coordenar e unificar as lutas de nível estadual com as de nível municipal, para que com milhares de punhos se possa dar um só golpe que faça Eduardo Leite e Marchezan recuarem. É necessário que haja mobilizações contra os ataques que vem contra a classe trabalhadora, a juventude e a educação. Devemos seguir o exemplo das lutas de classes que vem ocorrendo na América Latina para barrar esses brutais ataques aos trabalhadores. Somente através da luta conseguiremos impor com que os capitalistas paguem pela crise.




Tópicos relacionados

Eduardo Leite   /    Rio Grande do Sul   /    Greve Professores RS   /    Educação

Comentários

Comentar