Sociedade

MINERADORAS ASSASSINAS

Ativista de associação indígena e quilombola é assassinado após denunciar mineradora e ter proteção negada

O ativista Paulo Sérgio Almeida Nascimento, 47 anos, um dos representantes da Associação dos Caboclos, indígenas e Quilombolas da Amazônia (CAINQUIAMA), foi assassinado com quatro tiros nesta segunda (12).

segunda-feira 12 de março| Edição do dia

Paulo dirigia os atingidos pela construção das bacias de rejeitos da mineradora Hydro, na região de Barcarena e já vinha recebendo ameaças de jagunços ‘terceirizados’ pelos mineradores. Algumas das ameaças vieram de oficiais da PM.

Como consequência das ameaças, os ativistas da CAINQUIAMA chegaram a protocolar na justiça um pedido de proteção e "garantias de vida aos representantes da referida associação".

Porém, como a justiça burguesa esta serviço dos grandes capitalistas e apenas reflete seus interesses, o pedido foi negado. Mais especificamente por Jeannot Jansen, Secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará. Dias antes, no dia 1° de fevereiro deste ano, outro representante da CAINQUIAMA, Bosco Oliveira Martins Júnior, também havia protocolado um pedido de proteção junto ao Governo de Jatene (PSDB), o que também foi ignorado.

Neste caso, testemunhas citam inclusive um capitão da PM identificado como "Gama" e outro militar identificado como José, autores das ameaças, “promovendo” até mesmo uma recompensa no valor de R$ 40 mil por sua "captura", obrigando Bosco e sua família a sairem de Barcarena e precisar se esconder para sobreviver.

A Hydro é mais uma mineradora que vem cometendo crimes ambientais por conta de sua atuação em Barcarena onde um novo duto tem vazado efluentes e resíduos químicos nos igarapés e rios da região que provocaram fortes e graves danos ambientais às populações do município.

O dejetos apresentaram números elevados de diversas substâncias nocivas, como fósforo, alumínio, nitrato e sódio, além da elevação da alcalinidade da águas, atestando uma situação de dano ambiental ao ecossistema local.

*Com informações do Diário Online - Pará




Tópicos relacionados

luta indigena   /    Sociedade   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar