Gênero e sexualidade

SOBRE A LIMINAR QUE AUTORIZA "CURA GAY"

12 grandes personalidades LGBT que seriam "doentes" segundo a Justiça Federal do DF

domingo 17 de setembro| Edição do dia

A Justiça Federal autorizou psicólogos a tratarem a homossexualidade como doença, retrocedendo em décadas a luta pela despatologização das identidades e orientações sexuais. O Esquerda Diário resolveu trazer uma lista de apenas 12 personalidades que seriam consideradas "doentes" pelos novos critérios do judiciário:


Freddie Mercury

O vocalista do Queen jamais negou sua bissexualidade. Uma das vozes mais incríveis da música, Freddie seria vítima da terapia de "reversão sexual" no Brasil.


Ney Matogrosso

Se é pra patologizar LGBT, esse incrível cantor brasileiro, que enfrentou a "moral e os bons costumes" da ditadura dando muita pinta meeeeesmo seria mais um "doente" para a justiça brasileira.


Daniela Mercury

Outra voz inesquecível da música brasileira, Daniela Mercury que "saiu do armário" para enfrentar a LGBTfobia também estaria na mira dos "psicólogos" que querem curar as lésbicas.


Ellen Page

E a atriz Ellen Page, que além de ser lésbica veio ao Brasil para peitar Bolsonaro e sua homofobia. Será que alguns psicólogos quereriam também tratar isso como uma doença adicional?


Jodie Foster

Como Daniela Mercury, Foster ficou "no armário" durante décadas em que se consagrou como uma das atrizes mais famosas de Hollywood. Apenas em 2013 se assumiu lésbica e em 2014 se casou com a fotógrafa Alexandra Hedison. Se morasse em um país onde pudesse ser considerada "doente" por isso, será que Foster se sentiria segura para se assumir?


Ian McKellen

O brilhante ator inglês Ian McKellen, com uma extensa carreira, é um grande herói dos nerds tendo vivido dois personagens inesquecíveis: Gandalf e Magneto. Assumiu-se publicamente como homossexual na década de 1980 e hoje é militante pelos direitos gays. O respeitável senhor poderia ser colocado no divã dos psicólogos da reversão com o aval da justiça, se vivesse no Brasil.


Carol Duarte

A atriz Carol Duarte vem cumprindo um papel memorável de sua carreira ao interpretar o primeiro personagem trans em uma novela da Globo, de repercussão nacional. Na pele de Ivan, vive o preconceito na pele. Mas em sua vida privada, como homossexual, ela também sabe o que vivem os LGBTs no país. Da mesma forma que as identidades trans ainda são consideradas doenças, a nossa justiça volta no tempo para enquadrar não apenas o personagem Ivan, mas a atriz Carol como doente.


Lady Gaga

Milhares de fãs ficaram decepcionados com o cancelamento da vinda de Gaga ao Brasil pelas dores causadas pela fibromialgia. Da próxima vez que vier a um show, Gaga será vista pela justiça brasileira como uma "doente crônica" por ser bissexual. Será que os psicólogos que querem "tratar" isso consideram tão grave quanto à fibromialgia?


Laerte

Uma diva dos quadrinhos brasileiros, além de seus talentos inigualáveis como cartunista, Larte Coutinho assumiu sua identidade trans já na maturidade, e contou sobre esse processo em "Larte-se". Agora, a justiça brasileira e os psicólogos da "reversão sexual" poderão querer assistir o documentário como um "estudo de caso" da "patologia" trans.


Oscar Wilde

Em sua época, em 1895, o brilhante escritor inglês Oscar Wilde foi preso por "pederastia", com direito a trabalhos forçados, em uma época monstruosa em que a homossexualidade era crime na Inglaterra. Os socialistas protestaram pedindo sua liberdade, e apenas dois anos depois ele foi liberado. Quem diria que, mais de um século depois, se viesse ao Brasil que a justiça do DF quer, ele seria considerado ainda um "doente".


Alan Turing

Considerado como "o pai da computação", o inglês Alan Turing foi outro barbaramente condenado por sua homossexualidade. Em 1952, aceitou uma pena alternativa à prisão pelo seu "crime" de ser gay que incluía a ingestão de hormônios femininos e a castração química. Morreu dois anos depois ingerindo cianeto, num provável suicídio causado pela homofobia de que foi vítima. Em 2013 recebeu publicamente o "perdão" da Rainha por sua condenação por homossexualidade. Quantos anos passarão para que a justiça brasileira peça perdão pelo absurdo retrocesso de voltar a tratar a homossexualidade como doença?


Aristóteles
O filósofo da antiguidade grega foi uma das mentes mais influentes da humanidade de todos os tempos. Quando morreu, em 322 antes de Cristo, sua homossexualidade era considerada plenamente normal em Atenas. O que pensaria o grande filósofo se viajasse mais de vinte séculos ao futuro e chegasse no Brasil de hoje para ser considerado "doente" por sua sexualidade?

Continue lendo: Revogação imediata da decisão judicial que permite tratar LGBTs como doentes!

Ação judicial que patologiza LGBTs tem repúdio massivo nas redes, inclusive de artistas

Responsável por liminar que autoriza "cura gay" comparou a militância LGBT ao nazismo

Em 1935, Freud já dizia que a homossexualidade não era “doença” e não devia ser “curada”




Tópicos relacionados

Homofobia e Transfobia   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar