www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Domingo 27 de Septiembre de 2020
07:40 hs.

Twitter Faceboock
PETROBRAS
Presidente da Petrobras manobra para privatizar refinarias e entregar as riquezas aos capitalistas
Redação
Ver online

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, segue no plano de privatizar refinarias da estatal, ao mesmo tempo em que aumenta o preço da gasolina nas refinarias em 5%. O plano, capitaneado por Castello Branco com apoio de Paulo Guedes Bolsonaro, é desmontar a empresa sem sequer passar pelo legislativo. Enquanto fornece combustível caro e permite o aumento destes nos postos de gasolina, a equipe de Bolsonaro espera gerar ódio contra a empresa para fortalecer os esquemas de privatização.

No final de semana, o governo afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal que permite a privatização de subsidiárias da Petrobras permite também a privatização das refinarias Landulpho Alves (Rlam, na Bahia) e da Repar (Paraná). O congresso entrou com um pedido de liminar contra as pretensões da direção da empresa, e já há até proposta legislativa para proibir a privatização de empresas mistas sendo votada para ser analisada no Senado.

Nas suas manobras para entregar a riqueza nacional para empresas capitalistas estrangeiras, Castello Branco sequer recorre ao congresso, privatizando a empresa como se fossem decisões administrativas, com um nível de autonomia jamais visto já que ele mesmo não foi eleito por ninguém, sendo mero indicado de Paulo Guedes.

Na Petrobras, o novo método de privatização foi inaugurado com a subsidiária BR Distribuidora, uma das maiores empresas do país vendida na canetada de Castello Banco. Agora, são as refinarias. Junto a isso, um programa de fechamento de plantas que incluiu a Fafen - do Paraná assim como a Repar, além de planos de demissão voluntários enfiados goela abaixo da categoria.

Com isso, a população fica com o combustível caro e sem acesso às riquezas do minerais do país, que são entregues à toque de caixa para gigantes monopolistas como a SHell, a Total, a Statoil entre outras. A Petrobras poderia servir ao povo, se não se baseasse no lucro. Rompendo com a imposição do preço do petróleo que é dado internacionalmente, e produzindo gás barato e gasolina a preços populares, a Petrobras poderia ser uma empresa popular. Mas isso só pode ser possível atingir através do controle dos trabalhadores sobre a produção em aliança com o povo. O potencial produtivo da Petrobras poderia estar servindo para salvar o povo nesta pandemia, uma reconversão da produção poderia servir para colocar o batalhão dos petroleiros à serviço de munir o povo, em especial no SUS, com todo material necessário para se combater a covid-19, mas a política privatista de Bolsonaro deixa os trabalhadores e o povo pobre abandonados ao contágio, batendo recorde de mortes, sobretudo na população negra e pobre.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
[email protected]ario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui