www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Lunes 26 de Agosto de 2019
06:50 hs.

Twitter Faceboock
RACISMO
Judiciário racista absolve assassinos de Amarildo, a 1 ano do crime político contra Marielle
Redação
Ver online

Um ano após a execução da vereadora Marielle Franco no Rio, justiça absolve PMs envolvidos na tortura, morte e ocultação de cadáver do servente de pedreiro Amarildo, executado em julho de 2013. Mas o que isso significa? O que o pacote "anti crime" de Sergio Moro tem a ver com isso? O que esses dois casos e tantos outros tem em comum?

É escandaloso que o judiciário racista, do alto de seus imensos privilégios de super-salários, eleitos por ninguém absolva os assassinos e ocultadores do cadáver do pedreiro Amarildo. Essa foi a decisão da 8a Câmara Criminal da Justiça do Rio de Janeiro ontem. E mais escandaloso, nesse aval institucional ao assasinato racista que ele aconteça a véspera do aniversário de assassinato de Marielle.

O Estado é responsável por cada abuso de poder e morte arbitrária da polícia. A polícia que mais mata no mundo. E suas vítimas: negros e negras, jovens pobres moradores das favelas. Outro caso emblemático também foi o de Claudia Silva Ferreira, arrastada por 350 metros por uma viatura da polícia em 16 de março de 2014 após ser assassinada em uma operação no morro da Conconha. Como esses policiais criminosos, assassinos são julgados pelo Estado?

Marielle eleita com 46502 votos, era uma representação de negras e negros das favelas, sua execução significou a tentativa de calar a voz de muita gente pobre e oprimida e que desaparece pelas mãos da polícia todos os dias. O que os responsáveis pela morte de Marielle não esperavam foi o grito das ruas, que após um ano não cessou, e volta cada vez mais forte. Quem mandou matar Marielle Franco!? A escola de samba campeã do carnaval trouxe para a avenida, assim como várias outras escolas a figura emblemática de Marielle e o significado de sua execução. Depois todas as manifestações do 8 de março, inclusive no exterior, gritavam o nome de Marielle. Talvez por isso o Estado se viu pressionado a dar uma resposta ao prender algumas pessoas. Mas isso não deve silenciar as ruas, pois no fundo é esse mesmo Estado assassino que investiga seus crimes. Agora o delegado Giniton Lages, encarregado do caso e que citou Bolsonaro nas investigações está sendo afastado para, segundo o governador Witzel, fazer intercâmbio na Itália. Esse mesmo governador foi o que participou de destruição da placa de Marielle Franco há meses atrás. Por isso, mais do que nunca é preciso exigir uma investigação independente.

O grito “cadê o Amarildo” ecoa em cada grito por justiça para Marielle. É uma fortíssima demonstração do racismo do estado brasileiro que na véspera do aniversário do assassinato de Marielle, sejam inocentados os assassinos do um pedreiro negro. É exatamente para que tenhamos mais Amarildos mortos e mais Marieles mortas que atua o Estado, é para isso o pacote de Moro e para reforçar a impunidade de policiais assassinos que Bolsonaro e seus filhos atuam cotidianamente, inclusive entregando prêmios e medalhas nas assembleias legislativas.

O Brasil está entre os países com maior índice de mortes causadas pela polícia e forças repressivas do Estado, de acordo com dados do 12º Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado em 2018, a polícia brasileira mata, em média, 14 pessoas por dia. O pacote de Moro só vai fazer aumentar o genocídio da juventude pobre e negra. A intenção de Sérgio Moro, muito antes de acabar com a corrupção, o crime organizado e a violência, busca alterar cláusulas pétreas da Constituição de 88, dando licença às forças repressivas do Estado para matar impunemente. Somente as ruas poderão dar uma resposta de fundo que impeça esses retrocessos, mas para isso cumpre às grandes centrais sindicais (como CUT e CTB) ligar o chamado do dia 22 contra a reforma da previdência com uma luta contra toda a estrutura que está se armando para repressão política que está desenhada para as batalhas para que não paguemos pela crise. Somente os trabalhadores e a juventude nas ruas pode fazer estremecer as bases desses Estado opressor e explorador para que possamos vingar Marielle e fazer com que os capitalistas paguem pela crise!

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui