www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Domingo 17 de Enero de 2021
16:59 hs.

Twitter Faceboock
ALCKMIN
Alckmin ataca "ideologia de gênero" nas escolas, flertando com eleitorado de Bolsonaro
Guilherme de Almeida Soares
São Paulo
Ver online

Em uma tentativa clara de flertar com os setores mais reacionários que votam em Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin em sabatina do UOL, Folha de São Paulo e SBT disse que a ’’ideologia de gênero’’ é assunto que deve ser discutido entre a família, não na escola. De acordo com as suas palavras ’’Em princípio, eu acho que a questão de idelogia de gênero é a familia quem deve cuidar. Agora, a biologia precisa ser dada em aula’’.

Na entrevista ele continua abordando esta questão ’’ Você precisa explicar, até para prevenir a gravidez indesejada. Não é entrar em questão de gênero, né?, gay, não é gay. Nada disso. É preciso que precisa ter’’. Alckmin também se poscionou contra a descriminalização do aborto, menos em casos de feto anencefálico, risco de morte para a mãe e estupro.

Ao dizer que a questão de ’’ideologia de gênero’’ tem que ser discutida na família, Geraldo Alckmin flerta com as familias conservadoras e diz que elas ’’devem cuidar da educação do seu filho’’, o tucano deixa que estas familias continuem a reproduzir o preconceito que existe na sociedade e não dá mínimas condições para que inúmeros individuos possam ter uma vida dignamente.

As escolas devem abordar questões relacionadas a sexualidade e de gênero, pois além de ser a realidade de milhares de jovens que estão na escola, o Brasil é um dos países que mais mata homossexuais do mundo. Isso por si só, torna esta questão um assunto público na nossa sociedade e não privado, como quer colocar o candidato tucano a presidência Geraldo Alckmin.

Geraldo Alckmin ao dizer que esta é uma questão particular e não de assunto público, o tucano sinaliza que a situação de milhares de pessoas no Brasil não vai mudar. E Geraldo Alckmin faz isso de caso pensado, pois reproduzir o preconceito em relação a estes setores é fundamental para que os grandes empresários possam legitimar o uso de mão de obra barata e precária e consequentemente enriquecer ainda mais.

É preciso ser milhares de vozes anti-capitalistas nestas eleições para combater o preconceito contra estes setores que são um dos mais oprimidos no país. Combater a homofobia, a transfobia é se chocar contra o conservadorismo e reacionarismo que expressa com o candidato reacionário Jair Bolsonaro, mas também no tucano Geraldo Alckmin e em outros candidatos que concorrem estas eleições.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
[email protected]
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui