×

Invasão em terra indígena | Vídeo flagra PMs atirando e jogando bombas contra indígenas na Raposa Serra do Sol, Roraima

Nesta quarta-feira (17), vídeo flagra policiais invadindo com bombas de gás e balas de borracha a Raposa Serra do Sol, reserva indígena localizada em Uiramutã, no norte de Roraima.

quarta-feira 17 de novembro | Edição do dia

Nesta quarta-feira (17), vídeo flagra policiais invadindo com bombas de gás e balas de borracha a Raposa Serra do Sol, reserva indígena localizada em Uiramutã, no norte de Roraima.

Segundo redes da Articulação dos povos indígenas do Brasil (Abip):

Comunidade Indígena Tabatinga na T.I Raposa Serra do Sol, foi invadida e atacada na tarde do dia 16, por policiais do BOPE. Segundo às lideranças da Comunidade Tabatinga que fica dentro da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, o ataque foi realizado pela polícia militar do estado de Roraima, durante a retirada de um posto de vigilância e monitoramento que fica dentro da terra Indígena. Os relatos com fotos das líderanças indicam que foram 6 pessoas feridas durante o ataque incluindo uma mulher e o Tuxaua da comunidade Tabatinga.
O Conselho Indígena de Roraima tomou conhecimento dos ataques as lideranças e tomara as medidas cabíveis.

Continua:
Contestando a versão apresentada pela PM, lideranças afirmam não haver conflito, e sim invasão!
Em vídeo gravado durante o ataque ao posto de vigilância na Comunidade Tabatinga dentro da T.I Indígena Raposa Serra do Sol, a PM, invadiu e atirou na casa do Tuxaua Domingos, Tuxaua da Comunidade.
No vídeo também é possível ouvir as lideranças pedindo para retirar as crianças que estavam dentro da casa do Tuxaua, enquanto a PM dá tiros na parte externa e interna contra a casa e as lideranças.
O Conselho Indígena de Roraima - CIR, REPÚDIA o ataque realizado a casa do Tuxaua e ao Posto de Vigilância Tabatinga na T.I Raposa Serra do Sol, todas as medidas judiciais serão tomadas.
As lideranças indígenas não podem, nem devem ser atacadas dentro de sua comunidades, muito menos durante o monitoramento do território que impede a entrada de garimpeiros e outros invasores.

Leia também: 3 propostas para movimentar as engrenagens da nossa classe diante da paralisia das burocracias sindicais




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias