×

Cortes | Verba para programa de habitação cai 45,1%

O programa Minha Casa, Minha Vida, e sua nova versão criada pelo governo Bolsonaro, Casa Verde e Amarela, recebeu 45,1% a menos da verba em 2020. Em meio a pandemia que deixou trabalhadores desempregados e sem moradia, o desmonte do programa habitacional deixa os mais pobres desamparados.

segunda-feira 16 de agosto | Edição do dia

Imagem: Divulgação

O verba repassada aos programas habitacionais caíram 45,1% em 2020 em relação a 2019. Ao todo, esse número significa R$2,1 bilhões a menos no orçamento.

Considerando todos os subsídios disponibilizados pelo governo federal, em especial para as famílias mais pobres, houve uma redução de R$12,9 bilhões em 2020.

- Brasil: A irracionalidade capitalista da fome no “celeiro do mundo”

O governo Bolsonaro tenta substituir, ainda, o programa do ex-governo de Lula Minha Casa, Minha Vida, pelo seu próprio programa, chamado Casa Verde e Amarela.

O novo programa, entretanto, não contempla as famílias mais pobres: o Casa Verde e Amarela deixa de fora a faixa 1, e não oferece subsídio para as famílias com renda de até R$1.800. Além disso, Bolsonaro vetou a destinação de R$1,5 bilhões para as obras de faixa 1 em 2021.

O desmonte do programa habitacional é uma política que nega aos trabalhadores o direito mais básico de moradia, especialmente em meio a uma gestão negacionista e genocida que foi responsável pelo aumento do desemprego e a volta do Brasil no mapa da fome.

Leia também: MRV: o sucesso edificado sob a precarização do trabalho




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias