Mundo Operário

DENUNCIAS OPERÁRIAS

“Vamos passar fome” Diz professora após ter seu salário roubado por Doria

Doria corta o salário de professoras e professores da rede estadual de São Paulo que estavam em greve para proteger suas vidas e da comunidade escolar. Reproduzimos o relato de uma professora que, como tantas outras, não terá como sustentar sua família esse mês.

sexta-feira 2 de abril| Edição do dia

“Tenho duas filhas para alimentar, remédio pra comprar, conta de água, luz, parcela da casa.”

“Meu marido foi dispensado por falta de serviço.”

“Estou negativada devendo os dois limites do banco e mais todo cartão de crédito, uso o dinheiro do pagamento para pagar pelo menos o cartão para liberar crédito para usar neste mês. E agora???? Se não pago não libera, como vou sustentar minhas filhas?”

“Vamos passar fome.”

Esse é o relato de uma professora da rede estadual de São Paulo ao conferir seu holerite e ver que teve seu salário cortado para apenas R$ 237,37 para sustentar uma família com 4 pessoas. Isso é menos de R$ 2,00 por dia para cada membro da família. E essa é apenas uma de muitas professoras e professores que tiveram seu salário cortado pelo governador João Doria. E que agora não sabem como fazer para passar o mês. Se antes do corte a situação já era complicada, fazendo dívidas para pagar outras dívidas para conseguir ter um mínimo de condições de sustentar a família, imagina agora sem salário?

E por que as professoras perderam seus salários? Porque lutavam por suas vidas e pelas dos alunos e seus familiares, em greve contra o absurdo retorno presencial das aulas nas escolas sem as menores condições de segurança sanitária. Não bastou obrigar reabrir as escolas sem segurança, levando a milhares de contaminações e dezenas de mortes de trabalhadores e até mesmo de alunos. Não bastou deixar a pandemia chegar no nível de vermos vans escolares sendo usadas para carregar corpos na cidade de São Paulo. O governador João Doria ainda ataca o direito de greve de trabalhadores, sendo que essa greve não foi sequer considerada ilegal! O que Doria faz com as professoras é arrancar a comida de suas mesas, no pior momento da pandemia! E lamentavelmente esses professores não podem contar com o amparo do seu sindicato. A APEOESP dirigida pelo PT, não lutou para que esse corte não acontecesse, mesmo sabendo que viria. E agora não faz nada para organizar um fundo de greve para dar amparo aos trabalhadores!

E o pior é que essa situação desesperadora dessa professora, por culpa de Doria, também está sendo dividida por milhões de trabalhadores pelo país que por culpa de Bolsonaro terão a missão impossível de passar o mês com um auxílio emergencial de miséria que pode ser de apenas R$ 5,00 por dia. Não compra a mistura do mês, imagina pagar as contas!

Ouça e compartilhe o Podcast Peão 4.0

Todos os dias, ouça a realidade contada a partir dos trabalhadores em 5 minutos

💬 Quer denunciar? Mande seu relato para +55 11 97750-9596
E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!




Tópicos relacionados

Denúncias operárias   /    Reabertura das escolas   /    COVID-19   /    Pandemia   /    João Doria   /    Educação   /    Greve professores SP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar