×
Rede Internacional

VACINAÇÃO | Vacinação de grupos prioritários só deve terminar em setembro devido à escassez de vacinas

Se a lentidão no processo de vacinação devido à falta de doses por todo país seguir nesse ritmo, a vacinação dos grupos prioritários não será concluída antes de setembro.

segunda-feira 5 de abril | Edição do dia

Imagem: Delmiro Júnior/Agência O Dia

Atualmente, apenas 9,2% da população brasileira está vacinada contra a COVID-19, em um processo de vacinação que caminha a passos lentos. Novamente os estados estão sofrendo com falta de doses e a vacinação foi suspensa em diversas cidades.

- Enquanto há suspensão de vacinação, férias de Bolsonaro compraria mais de 100 mil doses

Especialistas afirmam que se seguir nesse ritmo, as 77,2 milhões de pessoas consideradas grupos prioritários na vacinação não estarão imunizadas antes de setembro. No dia 31 de março, o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga baixou mais uma vez a previsão de entrega de vacinas em abril de cerca de 40 milhões para 25 milhões de doses.

- Flavia Valle: “Greve de garis de BH é exemplo para lutar por vacina para todos”

O governo negacionista de Bolsonaro e Mourão anuncia demagogicamente que pretende vacinar 80 milhões de pessoas até metade do ano.Contudo, ainda segundo especialistas, para alcançar essa meta divulgada pelo governo, seria necessário vacinar 1 milhão de pessoas por dia sem interrupções. Atualmente, estamos com uma média de 300 mil por dia e muito instável.

Leia também: Quase 4 mil mortes diárias e 8% vacinado, é urgente a quebra de patentes e vacina para todos!

Hoje a propriedade privada das patentes das vacinas impede a livre pesquisa, produção e distribuição das vacinas, um dos obstáculos para imunizar rapidamente toda população nacional e mundial. Bolsonaro, capacho do imperialismo, já anunciou ser contra a quebra das patentes. Assim como ele, nenhum dos governadores, muito menos golpistas do Congresso e STF levam a frente medidas eficazes para acelerar a vacinação ou para enfrentar a crise sanitária e econômica. Pelo contrário, aprovam um auxílio miséria que irá manter milhares de famílias na fome.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias