SOCIEDADE

[VÍDEO] Seguranças e PM perseguem e humilham artistas no Trensurb em Porto Alegre

O vídeo mostra mais um episódio de racismo e repressão absurda e revoltante à juventude preta e periférica nas estações do Trensurb (região metropolitana de Porto Alegre). Três artistas jovens e periféricos, notoriamente conhecidos pelo projeto Rima na Estação em Porto Alegre, foram reprimidos pelos seguranças do trem e logo após saírem dos vagões pacificamente foram expostos à revista pela polícia. Centenas de pessoas se solidarizaram nas redes com os artistas em repúdio às ações dos seguranças e da polícia.

sexta-feira 19 de março| Edição do dia

Imagem: Rima na estação

Mais uma vez as medidas repressivas em relação a população pobre dos seguranças da Trensurb e da polícia voltam a atacar jovens trabalhadores. Como se não bastasse a repressão, humilhação aos vendedores ambulantes, os artistas periféricos também tem sofrido nos últimos meses com a perseguição dentro das estações do trem. Esse não é o primeiro caso de perseguição, pois diversos outros grupos de artistas, em sua maioria negros e periféricos, vêm reclamando sobre as ações repressivas e humilhações tanto por parte da polícia, quanto dos seguranças e da guarda municipal. As restrições da bandeira preta de Leite estão servindo para reprimir os jovens que precisam tirar o seu sustento e não possuem direito à quarentena. O desemprego cresce, os preços sobem e o autoritarismo do Leite e da polícia servem para reprimir jovens artistas negros e periféricos.

Assista ao vídeo:

Fica explícito o caráter puramente de perseguição aos integrante do grupo, onde são expostos a centenas de pessoas que estão circulando no local em uma abordagem racista.

No página oficial dos artistas, centenas de comentários se solidarizaram com o projeto e repudiaram as ações repressivas, além de exporem diversos outros casos que demonstram o quanto estão interessadas as forças de segurança em reprimir trabalhadores e a arte do que propriamente combater outros acontecimentos.



É absurdo o nível de violência nas costas da juventude preta tanto nas periferias quanto na região central. O governo dissemina o discurso que a repressão policial é para conter a pandemia, e isso se trata de uma grande mentira.

No final das contas os trabalhadores continuam se aglomerando e se expondo ao vírus dentro de seus locais de trabalho e no transporte enquanto a saúde pública se encontra em colapso, com o estado enfrentando centenas de mortes diárias e o número só crescendo enquanto não nos garantem testes massivos, uma quarentena segura, obrigam os trabalhadores a continuarem suas rotinas de trabalho, invés de se converterem as indústrias para a produção de insumos para serem utilizados no combate contra o COVID. Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos com o Rima na estação, e com todos os artistas e vendedores ambulantes que são reprimidos e agredidos todos os dias nas estações de trem e nos vagões do Trensurb.




Tópicos relacionados

Porto Alegre   /    Sebastião Melo   /    Eduardo Leite   /    Racismo   /    Rio Grande do Sul

Comentários

Comentar