×

Usando lei da ditadura, PM prende jovem que tuitou contra Bolsonaro em Uberlândia

Polícia Militar conduziu varredura autoritária nas redes sociais e prendeu rapaz por um tuíte contra Bolsonaro, que passava pela cidade. A prisão se deu em base à Lei de Segurança Nacional, mecanismo de perseguição política que é herança da ditadura militar.

sexta-feira 5 de março | Edição do dia

Foto: OutrasPalavras

Na madrugada desta quarta-feira (04), fruto de uma varredura autoritária promovida pela Polícia Militar nas redes sociais, um jovem teve sua casa invadida e foi preso em flagrante por fazer postagens contrárias ao presidente.

Sem nem ao menos apresentar mandato, a prisão foi feita em base a Lei de Segurança Nacional (LSN), que dessa vez foi utilizada contra um jovem que expressou seu descontentamento com Bolsonaro, em meio a um cenário em que se observa ataques econômicos combinados a recordes diários de mortes pela Covid-19, promovidos pela política negacionista do presidente, junto à irresponsabilidade dos governadores e das instituições do regime.

A varredura foi conduzida durante uma breve passagem que Bolsonaro fez na cidade para um compromisso em Goiás. Utilizando a LSN para expressar seu autoritarismo, a Polícia considerou que a postagem incitava a prática de crime contra o presidente. No twitter, o jovem publicou a seguinte frase: "Gente, Bolsonaro em Udia amanhã... Alguém fecha virar herói nacional?". A prisão por esse tuíte, semelhante a outros milhares que diariamente expressam o ódio e indignação contra esse governo genocida, se trata de perseguição política por parte do Estado.

A LSN é uma herança descarada da ditadura militar, criada e usada desde sempre como instrumento de perseguição da oposição política, e é fruto direto da transição pactuada, que levou à Constituição de 88 (defendida por muitos que se reivindicam de esquerda). A existência desta lei é um absurdo por si só, ainda mais hoje, em um regime golpista ultra-reacionário, que a utiliza para a perseguição cada vez mais frequente de jornalistas e opositores como o jovem de Uberlândia.

Recentemente, vimos a prisão do canalha de extrema-direita Daniel Silveira sendo levada adiante pelo STF sob as prerrogativas dessa mesma Lei de Segurança Nacional. Engana-se a esquerda que acredita que é possível conferir um uso progressista para a LSN ou que o uso desta na prisão de Silveira foi uma vitória. Dispositivo da ditadura militar, um atributo nefasto herdado dos militares para perseguir, encarcerar e assassinar os trabalhadores e a esquerda. Abre espaço para novas aplicações dessa medida brutalmente reacionária, como estamos vendo em Uberlândia.Foi um precedente que fortaleceu o autoritarismo do Estado, principalmente através do STF, e dá margem para encarcerar e assassinar os trabalhadores e a esquerda. É preciso confiar em nossas próprias fileiras e mobilizar as forças necessárias para se enfrentar com Bolsonaro, Mourão e o conjunto do regime do golpe.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias