União Europeia pede dados positivos sobre desmatamento na Amazônia

Em pronunciamento à Agência Efe, o representante da União Europeia (UE) no Brasil, o espanhol Ignacio Ybáñe disse que o governo brasileiro tem que apresentar dados positivos sobre a Amazônia.

terça-feira 10 de novembro| Edição do dia

Foto: Mato Grosso State Communication Department/AFP

O embaixador espanhol disse, se referindo ao governo brasileiro, que "a mensagem que temos passado é de que esse compromisso político é importante, mas, logicamente, agora é a hora de as ações se traduzirem em dados, nos números do desmatamento e na questão do combate às atividades ilegais"

Na semana passada, Ignacio Ybáñe participou de uma viagem à Amazônia organizada pelo governo brasileiro acompanhado do vice-presidente Hamiltom Mourão e os ministros Augusto Heleno, Chefe do Gabinete Institucional, Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Tereza Cristina, da Agricultura, com embaixadores estrangeiros.

Essa viagem teve por objetivo de melhorar a imagem do Brasil quanto à preservação do meio ambiente na região Amazônica.

A devastação da Amazônia que é reflexo da política do governo Bolsonaro que perdura desde o início de seu mandato, é um dos pontos para a não aprovação do acordo comercial entre UE e Mercosul anunciado em junho de 2019.

O acordo entre Mercosul e União Europeia, tem como projeto baratear as exportação brasileira, escoando a produção agrícola da Brasil para o mercado europeu, enchendo os bolsos do agronegócio, e reafirma a posição do Brasil e da América Latina de grande fazenda do mundo.

Os grandes países imperialistas que se colocam como defensores da Amazônia frente ao obscurantismo de Bolsonaro, não podem dar uma saída aos problemas ambientais que estão em curso nas mão de Bolsonaro e seu governo, pois é fruto do próprio capital desses países que financia a destruição da natureza.




Tópicos relacionados

Amazônia   /    Acordo UE-Mercosul   /    Governo Bolsonaro   /    União Européia (UE)

Comentários

Comentar