GANÂNCIA CAPITALISTA

Uber, Bradesco e BB oferecerão emprestimos a motoristas, mas valor dos juros será muito acima da média

Os valores devidos serão descontatos do trabalhador diretamente pela Uber via aplicativo e pagos semanalmente. O motorista não colocará as mãos no dinheiro de sua corrida.

sábado 19 de setembro| Edição do dia

A Uber fez parceria com o digio, banco digital controlado pelo Bradesco e pelo Banco do Brasil, visando oferecer crédito pessoal a motoristas da plataforma no país. Os empréstimos poderão ser do valor de R$ 1 mil até R$ 5 mil. Contudo a taxa de juros será de 2,97%, valor acima da média.

Diferente do CDC tradicional, os valores podem ser retidos a cada semana, e não mensalmente. Essa retirada semanal vai buscar acompanhar o fluxo de entrada de receita para os motoristas. Ou seja, os valores devidos pelos motoristas serão retidos diretamente pela Uber.

Para o professor Fábio Gallo da FGV “a taxa é superior a do mercado. Hoje, um trabalhador da iniciativa privada consegue contratar um consignado por uma taxa média de 2,12% ao mês.”

O professor ainda diz que o fato de que os motoristas serem trabalhadores autônomos não justifica uma taxa mais alta. “Do ponto de vista do crédito é a mesma coisa. O banco tem garantia de recebimento. O trabalhador informal não tem chance de pegar o dinheiro e já tem o desconto.”




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Bancos   /    uber   /    Trabalho Precário

Comentários

Comentar