UFRGS

UFRGS: Todos ao ato do dia 13/05 contra o racismo e por justiça às vidas negras!

Dia 13 de maio estão sendo convocados atos por todo o país contra o massacre de Jacarezinho. Fazemos um amplo chamado à toda a comunidade acadêmica da UFRGS para que participem do ato e se somem a luta contra a violência policial e por justiça às vidas negras.

terça-feira 11 de maio| Edição do dia

A Coalizão Negra por Direitos está convocando atos em todo o país para o próximo dia 13, nesta quinta-feira. Em nota divulgada nas redes: "Convocamos os setores da sociedade brasileira que não aceitam a barbárie e o genocídio imposto pelos governos milicianos que dirigem o país e diversos estados, para se unir à Coalizão Negra Por Direitos, na próxima quinta-feira, dia 13 de Maio, marca histórica da abolição inacabada, em manifestações por todo país." Aqui em Porto Alegre, o ato está marcado para acontecer às 17h, na Esquina Democrática.

Fazemos aqui um amplo chamado a todos estudantes que se revoltaram com a chacina racista na favela do jacarezinho para se somarem na luta por justiça as vidas negras, contra a violência policial e todos os ataques de Bolsonaro, Mourão e os golpistas, que vem impondo profundos cortes na educação, como os cortes bilionários nas universidades que ameaçam o fechamento das instituições federais de ensino, e avançando com seu autoritarismo com o uso da Lei de Segurança Nacional

O massacre de Jacarezinho, que deixou cerca de 29 mortos, sendo 13 sem nenhum tipo de ficha criminal e 11 ainda não identificados, escancara ao que serve a polícia: garantir a exploração e o patrimônio dos ricos, enquanto reprime e assassina os trabalhadores e a juventude negra, pobre e periférica. Junto com todos os ataques do governo, também é uma expressão do regime do golpe institucional de 2016 que só fez aprofundar a violência e repressão estatal. Não bastasse a brutalidade da pandemia que, somada a crise econômica, já amarga mais de 420 mil mortos no Brasil e altas taxas de fome e desemprego, o Estado segue invadido as nossas casas com a legitimidade concedida pelas fardas e reforçada pelas autoridades, como por Bolsonaro, Mourão e pelo governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), que chegaram ao absurdo de defenderem a chacina e apoiarem às execuções. Todos eles, juntos do “centrão”, governadores como o Leite e o STF, querem precarizar e descarregar a crise nas costas da classe trabalhadora.

Frente a violência policial que ceifa a vida de milhares de vidas negras no Brasil, é preciso dizer que só a nossa força organizada pode impor justiça por Jacarezinho e se contrapor a todos os ataques de Bolsonaro, Mourão e o conjunto desse regime. É se apoiando no grito por justiça das mães que se levantam contra o Estado capitalista e a brutalidade do massacre de Jacarezinho que precisamos levantar nossas vozes e dizer: Basta de morrer pelas balas da polícia, pela COVID, a fome e pelos lucros capitalistas.

É nesse sentido que chamamos o DCE da UFRGS, assim como todos os CAs e as organizações da oposição de esquerda como o PSOL, Correnteza e UJC, a construírem um bloco da UFRGS no ato do dia 13, mobilizando cada estudante e em cada curso, com ampla divulgação pelas redes. Fazemos esse chamado na perspectiva de apontar um caminho que possa reconstruir as forças do movimento estudantil, em aliança com os trabalhadores e a juventude negra e precarizada, para batalhar contra os ataques e pelo Fora Bolsonaro, Mourão e todos os golpistas, sem depositar nenhuma confiança no judiciário racista, bem como pelo fim das operações policiais e da impunidade. É preciso exigir uma investigação independente, a partir dos movimentos de direitos humanos, negros, familiares e sindicatos para que os culpados sejam julgados por um júri popular. Pelo fim dos autos de resistência que não passam de uma justificativa para o massacre da população negra!

Justiça para os mortos de Jacarezinho!
Abaixo a polícia racista!
Vidas Negras Importam!

Leia mais em: Justiça por Jacarezinho: abaixo a polícia e o autoritarismo de Bolsonaro, Mourão e golpismo




Tópicos relacionados

Chacina do Jacarezinho   /    Racismo   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Violência policial   /    [email protected]

Comentários

Comentar