Política

ELEIÇÕES 2020 SP

Três funcionárias do gabinete de Russomanno atuam como advogadas para ele

Não bastassem as fake news e o largo histórico do candidato bolsonarista, três de suas secretárias na câmara vêm advogando para questões particulares no horário de expediente

sábado 14 de novembro| Edição do dia

Imagem: Reprodução/Facebook

Em meio a diversas denúncias que oreacionário candidato a prefeitura de São Paulo e deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) vem recebendo, novamente há mais um fato alarmante acerca de suas atividades enquanto deputado federal.

No caso, isso envolve três funcionárias de seu gabinete, que não vem ocupando tal função, mas recentemente advogaram para causas particulares, defendendo suas empresas e uma instituição sem fins lucrativos que o mesmo fundou.

As funcionárias (Debora Masiglia Piovesan, Fernanda Hardy Muller e Fernanda Teixeira Popov) foram contratadas para trabalharem como secretárias parlamentar, um cargo que a princípio, volta-se para assessoria e para assuntos relacionados ao mandato.

Porém, o que acontece é que essas funcionárias, na realidade, vem exercendo uma função que nada tem a ver com sua atuação na câmara ou para fins públicos propriamente. As três advogaram em processos relacionados à empresa Museu do Pão, que é a razão legal de uma padaria num bairro nobre de São Paulo, e que tinha enquanto sócio, Celso Russomanno até fechar em 2019.

Dentre os diversos casos, em um deles Piovesan e Muller foram representantes de Russomanno em um processo aberto contra ele e a Mundo Pão, por uma empresa de nome Arruda Tecnologia e Participações Eirelli. Sendo que há registros da assinatura de Fernanda Muller em petições referentes ao processo, enquanto ela já atuava no cargo do gabinete.

Ambas também atuam como defensoras do Inadec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor), que foi fundado por Russomanno. Além disso, Muller também foi responsável por uma ação pública envolvendo o Inadec e uma empresa de vídeo, onde foram registradas oito petições entre julho de 2019 e fevereiro de 2020, sonde setes delas antes do fim do expediente no gabinete de Russomanno.

Já Popov, segundo o jornal Folha de São Paulo, representou a Museu do Pão num processo trabalhista, tendo sido acordado em 2022 deste ano, em menos de uma semana do início da campanha de Russomanno na cidade de São Paulo, tendo petições assinadas por ela também em meio ao horário de expediente no gabinete.

Enquanto isso, Russomanno segue em sua direitista campanha, marcada por reafirmar posturas demagógicas assim como seu alinhamento com figuras como Bolsonaro, mas que vem se esfacelando conforme sabe-se mais de sua atuação em diversos âmbitos.




Tópicos relacionados

Eleições 2020   /    bolsonarismo   /    Russomanno   /    Eleições São Paulo   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar