×

Brasília | Trabalhadores dos Correios resistem à privatização em meio a assédio policial e bolsonarista

Em ato marcado hoje, trabalhadores dos Correios resistiram em Brasília contra mais uma privatização à toque de caixa, um ataque absurdo do governo Bolsonaro-Mourão com a cumplicidade direta do Congresso e da justiça. Os trabalhadores ainda sofreram represália da polícia que tentava defender o ato bolsonarista pelo voto impresso.

Caio Rosa Estudante de Relações Internacionais na UnB

quinta-feira 5 de agosto | Edição do dia

Hoje em Brasília ocorreu ato dos trabalhadores dos Correios contra a privatização da empresa. Esse é mais um ataque brutal contra o conjunto da classe trabalhadora no qual Bolsonaro-Mourão, os militares como o reacionário presidente da empresa Floriano Peixoto, o Congresso e também a justiça se juntam para entregar ao imperialismo uma empresa estratégica. Querem precarizar o trabalho dos ecetistas, demitir e reduzir os salários, abrindo espaço para uma precarização do trabalho do conjunto da classe trabalhadora com mais reformas e privatizações, além de tornar o serviço pior.

Como nos disse um dos trabalhadores “não vamos receber aumento salarial esse ano, mesmo com a inflação deixando os alimentos todos caros, vão fazer que nem na CEB em que já estão demitindo trabalhadores”. Ele diz ainda que “Bolsonaro não respeita a democracia. Para tirar a Dilma eles fizeram rapidinho, tão enrolando o povo. Mas colocar Mourão também é trocar seis por meia dúzia”.

O ato ocorreu em frente à Câmara dos Deputados sendo que, do lado, estavam bolsonaristas fascistas defendendo a medida golpista do voto impresso. Os trabalhadores também se colocaram firmemente contra essa pauta absolutamente reacionária, mas a polícia, mesmo com vários bolsonaristas xingando os ecetistas, repreendeu e assediou os trabalhadores por estarem se manifestando. Mais uma vez, a polícia defende os fascistas golpistas enquanto repreende a luta operária, escancarando para qual classe ela serve. Veja o vídeo:

O texto-base da privatização dos Correios foi aprovado hoje, apesar da grande disposição de luta e força dos ecetistas, apesar das centrais sindicais não terem realizado nenhum plano de lutas para barrar esse brutal ataques aos trabalhadores e toda a população. Diante de mais um ataque como esse, é preciso retomar a força da gigantesca greve do ano passado, que paralisou os Correios no país todo por um mês. Infelizmente, as centrais sindicais se recusaram a unir forças com outras categorias naquele momento, terminando com a justiça declarando-a ilegal e a derrotando. Mas apenas o caminho da mobilização e da luta operária é que pode barrar os ataques. É fundamental que as centrais sindicais rompam com sua paralisia e convoquem agora, por cada local de trabalho, assembleias de base para organizar uma greve geral nacional para revogar todos os ataques e derrubar Bolsonaro e Mourão já!

Leia mais: Privatização dos Correios é aprovada com cumplicidade das burocracias sindicais




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias