Mundo Operário

GREVE DOS CORREIOS

Trabalhadores dos Correios em greve ocupam centro de distribuição de Indaiatuba

Na noite de ontem (26), trabalhadores dos Correios em greve, das cidades de Indaiatuba, Campinas, Ribeirão Preto, Santos e São Paulo, ocuparam o complexo do CTCE (Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas) de Indaiatuba, paralisando o seu funcionamento. O complexo segue ocupado até o momento.

quinta-feira 27 de agosto| Edição do dia

A ocupação de um dos maiores centros de distribuição do país na noite de ontem (26), o CTCE de Indaiatuba, faz parte da greve de trabalhadores dos Correios que há mais de uma semana realizam diversos tipos de atos contra os ataques aos direitos trabalhistas e a privatização planejadas por Bolsonaro e Guedes.

Enquanto o presidente dos Correios, o general Floriano Peixoto, ganha mais de R$ 1 milhão por ano, a maioria dos trabalhadores que garantem as entregas da população, ganham menos de 2 salários mínimos por mês.

Se não bastasse essa situação, Bolsonaro, com a ajuda do STF, ainda quer retirar mais de 70 pontos do acordo coletivo conquistado em 2019, como adicional noturno, comissões de acidente de trânsito, auxílio para dependentes/filhos especiais, diminuição do reembolso do auxílio creche/babá, entre outros.

Escancarando a precarização que o projeto de privatização e a retirada de direitos traz, no mês de julho trabalhadores terceirizados do CTCE dos Correios de Indaiatuba, que há meses não tinham sequer contrato de trabalho, paralisaram as atividades mais de uma vez por não receberem os seus salários.

A terceirização impõe condições de trabalho extremamente precárias e serve também para dividir os trabalhadores em diferentes categorias, enfraquecendo a força de mobilização dos próprios trabalhadores.

Por isso nós do Esquerda Diário, que apoiamos a paralisação dos terceirizados dos Correios de Indaiatuba, e que também nos somamos às ações da atual greve dos Correios, somos a favor da efetivação de todos os terceirizados e contra o projeto de privatização e a retirada de direitos.

A vitória dos trabalhadores dos Correios é determinante. Bolsonaro, os generais, o STF e o Congresso, têm suas diferenças no poder, mas andam juntos na privatização do conjunto das estatais e no avanço de condições de trabalho ainda piores que as promovidas após o golpe institucional, onde o direito trabalhista passa a ser chamado de privilégio.

Se os ecetistas vencem, podem mostrar que a classe trabalhadora organizada é uma força para conter esse projeto que atingirá a toda a população.

Leia também: Greve nos Correios: 6 motivos pelos quais você deve apoiar a luta dos trabalhadores

GREVE DOS CORREIOS | Flávia Telles, da juventude Faísca, e Natália Mantovan, trabalhadora dos Correios, direto do piquete do Centro de Triagem de Indaiatuba, em apoio à mobilização dos trabalhadores.

Publicado por Esquerda Diário em Quinta-feira, 27 de agosto de 2020




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Privatização   /    Greve dos correios   /    Correios   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar