Mundo Operário

DEMISSÕES E FECHAMENTO DE POSTOS DE SAÚDE

Trabalhadoras da saúde voltam a protestar contra demissões impostas por Marchezan

Novamente trabalhadores da saúde em Porto Alegre vão às ruas protestar contra o fechamento dos postos de saúde de PoA e as demissões impostas pelo prefeito tucano e pelo judiciário golpista aos trabalhadores do IMESF.

quinta-feira 10 de dezembro de 2020| Edição do dia

Pela segunda vez somente nesta semana, a Avenida João Pessoa está sendo bloqueada nesta quinta-feira (10) pelas trabalhadoras e trabalhadores do IMESF, que lutam contra as demissões e o fechamento de postos de saúde na cidade. Há mais de um ano o judiciário golpista atua junto à Marchezan (PSDB) para extinguir o Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (IMESF), sem apresentar qualquer alternativa aos trabalhadores, que são concursados.

Ao longo de todo o ano passo foi travada uma forte batalha contra a demissão dos mais de 1800 servidores do IMESF, o que configura um duro ataque contra o atendimento de saúde da população. Em meio à pandemia não cessou essa política do prefeito tucano, derrotado nas últimas eleições.

Marchezan, alinhado com Bolsonaro, também promove outros ataques ao SUS. Nesta terça-feira (08) foi denunciado por usuários nas redes sociais demissões de médicos e enfermeiros que estavam atuando no posto da IAPI. Além disso, nesta mesma semana foi anunciado o fechamento de mais um posto de saúde na capital, entre dezenas que tiveram suas atividades encerradas durante a gestão de Marchezan.

No caso do IMESF, os profissionais demitidos são de diversas categorias, exceto agentes comunitários e endêmicos. A prefeitura realizará novo concurso para esses cargos e os demais serão terceirizados, aprofundando a precarização e a privatização que já vem em curso na capital gaúcha com a terceirização de diversas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Mesmo nos concursos que o Paço Municipal promete abrir, em nada está garantido que aquelas(es) que hoje trabalham no IMESF serão aprovadas.

Essas trabalhadoras e trabalhadores já foram aprovados em concurso e cumprem um papel fundamental no atendimento de saúde da população, sobretudo em meio à pandemia. Deveriam ser incorporados ao município, com todos os direitos garantidos e sem necessidade de novos concursos. É preciso cercar de solidariedade as servidoras e servidores do IMESF, unindo sua força à força da população usuária do sistema de saúde que será amplamente afetada pelo fechamento de postos de saúde, principalmente em meio a pandemia.

Confira mais fotos do ato:




Tópicos relacionados

Crise na Saúde   /    Privatização da Saúde   /    Coronavírus   /    IMESF   /    Marchezan   /    PSDB   /    Demissões   /    Porto Alegre   /    Saúde   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar