Mundo Operário

SAÚDE NO RIO DE JANEIRO

Trabalhadora da Saúde sobre Paes: "Está nos tirando absolutamente tudo"

Reproduzimos o relato anônimo de uma trabalhadora, técnica de enfermagem, indignada com a Reforma da Previdência de Paes que aumentará a alíquota de servidores públicos de 11% para 14% em meio a um novo colapso da saúde no Rio. Querem que paguemos pela crise!

sexta-feira 2 de abril| Edição do dia

Imagem: Reprodução

"Eu trabalho na saúde, nós trabalhamos no carnaval, em diversas situações e estamos sem aumento. Não só como diz o Lindbergh Farias (PT) que estamos há 2 anos sem aumento. Na verdade são 6 anos. Crivella não deu um aumento sequer. Estamos trabalhando de sol a sol. Não temos direito a nada, ainda vai rolar essa reforma da previdência para deixarmos de ter o mínimo direito que temos. Nós já perdemos muita coisa, eles já tiraram da gente o direito de insalubridade depois de aposentado. Eu trabalhei com doenças infecto-contagiosas a vida inteira. Se eu pegar uma doença depois de me aposentar, não recebo mais nada. O direito do estatutário está indo embora.

Eu sou servidora pública da saúde há 23 anos. É uma vida inteira desde 1997. Desde então, estou na luta, na saúde e vi muita coisa mudar para pior.

Estamos quase sem dinheiro de aposentadoria. O Eduardo Paes lá na época da copa e das olimpíadas para fazer apartamentos meteu a mão no nosso dinheiro. Nós estamos sem fundo de caixa para aposentadoria e ele agora quer mexer mais. Ele é o único preocupado com a nossa aposentadoria mas não nos dá nada, está entendendo. Ele está nos tirando absolutamente tudo, não é esse bonzinho que todo mundo pensa. Se você for ver um relato da saúde hoje, mudou para pior mesmo que seja de nível federal para baixo. Ficou uma porcaria por que o povo não tem mais acesso a especialista. Morre na fila do Sisreg esperando cardiologista, um pneumologista, só tem generalista nos postos de saúde.

Nem Nasf (núcleo ampliado de saúde da família) mais a gente tem. De dermatologia, de pneumologia. Os postos de saúde viram uma barreira para chegar ao especialista, pois só tem generalista.

É muito interessante pois nós trabalhamos no dia 20 de janeiro, dia de São Sebastião, seria um feriado e nós não tivemos. (Onde trabalha) ganhamos a vacina, mas quando chegou o carnaval trabalhamos, agora a semana santa de novo.

Nós estamos trabalhando e muito. Estão dando folga para um dia de trabalho. Que folga a gente não vai ter se vamos começar a campanha de vacinação do idoso dia 12. Quando é que vai ter espaço para folga? e essa folga tem que ser tirado em até dois meses? o negócio está muito ruim. Queria ganhar era dinheiro, por que o que estamos trabalhando dos 20% prometido no outro governo, ninguém cumpriu.

Nenhum adicional e não estamos ganhando é nada. Estão todos elogiando (a Paes), mas elogio não paga contas."




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    Crise   /    Crise na Saúde   /    trabalhadores da saúde   /    Eduardo Paes   /    Trabalhadores   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Saúde   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar