Mundo Operário

COVARDIA

Trabalhador é demitido após se atrasar para salvar vítima de acidente em SP

Ele estava a caminho do emprego quando presenciou carro capotando cinco vezes na Rodovia Rio-Santos ontem. Robsom não hesitou em ajudar o motorista, mas os patrões não se importaram e demitiram seu funcionário por ter se atrasado salvando uma vida.

terça-feira 9 de fevereiro| Edição do dia

Foto: Robsom dos Santos/Arquivo Pessoal

Robsom dos Santos foi demitido após ter se atrasado para o serviço por ter ajudado uma vítima de acidente de carro. O fato ocorreu em Bertioga, no litoral norte de São Paulo, na segunda-feira. Ele estava à caminho do seu trabalho quando presenciou um motorista capotar seu carro na Rodovia Rio-Santos, na altura do bairro Matinga.

“Me coloquei no lugar dele”, afirmou o trabalhador. O veículo tinha caído em uma vala e estava afundando na água. Diante do risco de o homem que estava no carro morrer afogado, Robsom não hesitou e decidiu tentar tirá-lo de lá, sem se preocupar se estava atrasado ou não.

Com auxílio de outras duas pessoas que estavam também no local, foi possível resgatar a vítima com sucesso. Em nota, o hospital que atendeu o motorista informou que o paciente foi encaminhado logo após por bombeiros e recebeu alta no mesmo dia.

Contudo, nem mesmo o ato heroico foi suficiente para diminuir a sede dos patrões pelo lucro. Robsom estava em período de experiência e foi demitido de forma cruel pelo atraso. “Estava no lugar certo e na hora certa, mesmo com horário atrasado”, disse o homem, mas para os empresários o único lugar certo é aquele em que exploram seus funcionários sem piedade.

O caso é um retrato do que está sendo a reação dos capitalistas durante toda a pandemia quando o assunto é a vida. Para esses magnatas, a morte sempre é a primeira opção quando se trata de garantir seus rendimentos, enquanto que para o resto da população nunca há opção de escolha a não ser o desemprego.

Com informações do Portal G1




Tópicos relacionados

Demissão   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    São Paulo   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar