×

Símbolo da miséria capitalista | Touro de ouro da B3 é símbolo do desprezo capitalista que lucra com fome e miséria no país

O touro dourado da B3, inaugurado no centro de São Paulo já amanheceu com adesivos de protesto com a palavra ‘fome’ em maiúscula grudados na lateral da estátua, realizados pelo coletivo Juventude Fogo no Pavio. Essa "obra" é um verdadeiro escárnio repugnante e perverso da burguesia em relação à vida da classe trabalhadora e do povo pobre, que se encontra em filas de osso e do lixo, com mais de 19 milhões vivendo em situação de fome, enquanto que há 42 novos milionários.

quarta-feira 17 de novembro | Edição do dia

Imagem: Tiago Queiroz

O coletivo Fogo no Pavio, que realizou o protesto, afirmou que “o touro ganhou a marca do Brasil de Bolsonaro” e que não há nada o que comemorar, já que vivemos no Brasil uma situação crítica e deplorável, com milhares de pessoas em situação de miséria, fome, desemprego, para não falar dos milhares de mortos por Covid durante a pandemia, entre outros problemas.

Grupo protesta contra a fome em frente à Bolsa de Valores de SP — Foto: Vivian Reis/g1

Como já era de se esperar, a estátua, é comparada ao famoso Charging Bull de Nova York, um símbolo do imperialismo norte-americano ao qual a burguesia e a direita brasileira adora lamber as botas. Na internet a obra já virou motivo de piada e de meme, sendo apelidada de ’Vaca Louca do Anhangabaú’ e ’Touro da Cracolândia’. Isso para não falar do quão brega e cafona a obra é.

Em setembro, movimentos sociais já haviam ocupado o saguão da Bolsa, protestando contra a carestia de vida e a política econômica de Bolsonaro e Paulo Guedes. Na ocasião, havia faixas e cartazes como “sua ação financia nossa miséria”, “Brasil tem 42 novos bilionários enquanto 19 milhões passam fome”, “tem gente ficando rica com a nossa fome”.

Relembre: Movimentos sociais ocupam a bolsa de valores de SP contra a fome e a carestia de vida

A escultura do touro dourado foi financiada pela B3 em parceria com o economista e educador financeiro Pablo Spyer, idealizador da obra. O autor é o arquiteto e artista plástico Rafael Brancatelli. O valor da estátua, que pesa cerca de uma tonelada e tem cinco metros de comprimento, não foi divulgado.

Brancatelli e a B3 negam qualquer inspiração do touro brasileiro no Charging Bull, o famoso touro de bronze situado em Nova York, o que é no mínimo duvidoso.

E de qualquer forma, as comparações são inevitáveis, já que, como falamos, a burguesia brasileira e a direita, em especial os bolsonaristas, adoram lamber as botas do imperialismo, isto é, o famoso "síndrome de vira-lata", num servilhismo que na verdade abre as porteiras para o touro do imperialismo ianque e internacional entrar no Brasil, onde encontra uma classe trabalhadora dilacerada pela fome, miséria, desemprego, reforma trabalhista e da previdência, privatizações e demais ataques, o que permite a esse imperialismo achar uma classe trabalhadora que pode explorar a custos cada vez menores e arrancar cada gota de mais-valia que puder.

Enquanto os capitalistas seguem aumentando seus lucros milionários e bilionários em meio a pandemia, há cerca de 15 milhões de trabalhadores desempregados e mais de 30 milhões de brasileiros vivendo com “até” um salário mínimo, sendo que 20 milhões destes 30, são negros. Ou seja, os capitalistas e seus políticos burgueses e golpistas, como Bolsonaro, militares, Mourão, Congresso, STF e governadores seguem descarregando a crise em nossas costas, realizando não só brutais ataques como as reformas trabalhista, da previdência, cortes e privatizações, mas também empurrando a classe trabalhadora para a miséria, a fome, a precarização e o desemprego.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias