×

CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS | Todos ao ato contra a privatização dos Correios em Brasília neste 13J

No último dia 6 de julho, a pauta da privatização dos Correios voltou à tona e projeto encaminhado pelo governo visa a venda de 100% da estatal. Desde então, os ecetistas vêm se organizando contra mais esse ataque do regime golpista e corrupto de Bolsonaro, Mourão e militares. Na última assembleia realizada no DF os ecetistas votaram um ato contra a privatização e o reajuste de 0% nesta terça-feira (13) em frente ao edifício sede dos Correios, às 10h, dia que também será de manifestações contra o governo Bolsonaro. Chamamos todos a estarem presentes, em especial a esquerda que está impulsionando os atos neste 13J apoiar os ecetistas e lutar contra a privatização.

segunda-feira 12 de julho | Edição do dia

A privatização dos Correios é uma das prioridades do governo Bolsonaro. O primeiro projeto foi encaminhado para Câmara em fevereiro de 2021, e na última semana houve o retorno desta à CCJ com a proposta de privatizar 100% da estatal. Os trabalhadores dos Correios já vêm em luta de longa data contra o regime golpista que tem Bolsonaro à frente - em 2020 protagonizaram uma importante greve, mas que foi capitulada devido às burocracias sindicais.

Os Correios são exemplo de uma estatal que vem passando por um progressivo desinvestimento em vista à precarização dos serviços prestados. Seus trabalhadores estiveram na linha de frente durante a pandemia e foram aqueles que com a exploração da força de seu trabalho fizessem com que conglomerados como a Amazon, Magazine Luíza e outros mantivessem seus lucros exorbitantes. Tudo isso, com EPI’s insuficientes e péssimas condições de trabalho. Não bastasse essa situação, esse ano o atual presidente dos Correios, o militar Floriano Peixoto, propôs um reajuste de 0% aos trabalhadores.

A greve de 2020 demonstrou a força dos trabalhadores contra os planos privatistas, mas deixou evidente o quanto esse regime golpista formado por Bolsonaro, Mourão, militares, Congresso e Judiciário estão pactuados para fazer com que a classe trabalhadora pague pela crise e entregar uma das principais estatais do país aos interesses de capitalistas como Jeff Bezos, que fez sua fortuna à custa dos baixos salários pagos aos trabalhadores da Amazon.

Portanto, a fim de não se repetir o desfecho como o da greve anterior, que enfrentou a intransigência de diferentes setores do regime e a desarticulação por parte das direções sindicais, diferentes categorias de trabalhadores e a juventude precisam se juntar à luta dos ecetistas para barrar a privatização dos Correios.

Veja mais: Atos do 13J deveriam unificar trabalhadores e estudantes contra privatização dos Correios

Nós do Esquerda Diário e da Juventude Faísca estivemos na última quinta feira (8) prestando todo nosso apoio na assembleia dos trabalhadores dos Correios porque entendemos como necessária a unidade entre estudantes e trabalhadores para enfrentar as privatizações e ataques do governo. Mas também não queremos que essas mobilizações sejam desviadas eleitoralmente ou acreditar em saídas como o impeachment que estaria na mão dos mesmos parlamentares corruptos e golpistas que retiram nossos direitos.

Nesse dia 13J fazemos um chamado a toda esquerda, para que se organize junto à nossa classe e à juventude, sem confiança ou conchavos com direita e os golpistas, encarando que a força para o enfrentamento dos ataques está com a classe trabalhadora. As organizações da esquerda que estão convocando o 13J como a Unidade Popular (UP) e o Juntos (juventude do MES, corrente do PSOL), assim como outras correntes do PSOL e PSTU poderiam dar um exemplo desde os centros acadêmicos e sindicatos que dirigem, chamando assembleias de base em cada local para mobilizar estudantes e trabalhadores contra a privatização dos Correios e também contra o governo corrupto de Bolsonaro e Mourão. Estes exemplos devem servir também para exigir das grandes centrais como a CUT e a CTB, que são dirigidas pelo PT e PCdoB, e que também dirigem a maioria dos sindicatos dos trabalhadores dos Correios pelo país, chamem uma greve geral para derrubar Bolsonaro e Mourão.

Todos ao ato neste 13J às 10hem frente a sede dos Correios em Brasília!

Leia também: A força dos trabalhadores paralisando o país numa greve geral é o que pode barrar privatizações




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias