Sociedade

SAÚDE NATAL

Teto de banheiro do Hospital Deoclécio Marques cai sob paciente em Natal (RN)

Reproduzimos abaixo a nota de denúncia do Sindisaúde sobre o ocorrido. A paciente tinha 69 e está em observação. Apoiamos a greve dos servidores da saúde de Natal, cujos novos contratados estão há 10 meses recebendo metade do seu salário, um valor de R$ 752 reais.

quarta-feira 11 de dezembro de 2019| Edição do dia

No dia 5 de dezembro, iniciou-se uma greve dos trabalhadores da saúde de Natal-RN. A situação é absurda, inclusive a greve exige o pagamento dos direitos, assim como denuncia a situação dos hospitais e postos de saúde que atendem ao SUS, sem remédios e insumos básicos muitas vezes, como Dipirona, luvas.

No âmbito estadual a situação não está melhor, como prova esse caso do Hospital Regional Deoclécio Marques. A governadora Fátima Bezerra (PT), vem devendo aos servidores dois salários, vindos de gestões passadas, enquanto segue a política de precarização da saúde publica e criminaliza servidores da saúde por fazerem greve e paralisações.

Agora avança com uma reforma da previdência, se somando à agenda de ataques de ataques aos servidores e ao atendimento nos serviços públicos à população.

Confira a denúncia do Sindisaúde-RN sobre a queda do teto sob uma paciente:

"Parte do forro de gesso do banheiro do Hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim, caiu e atingiu uma paciente e sua acompanhante nesta quarta-feira (11). Maria Lopes do Nascimento Moreira de 69 anos, estava internada na unidade após passar por um procedimento cirúrgico de fratura no fêmur e foi atingida pelos blocos de gesso que cederam enquanto sua filha lhe dava banho.

A vítima foi ferida no braço, e ressalta que a sua sorte foi porque estava acompanhada, "Ainda bem que minha filha estava comigo, já que não consigo mais andar, devido a complicação da cirurgia que fiz aqui", relata. A acompanhante da paciente também foi ferida pelo desabamento. "Mais uma vez a população é punida pelo descaso e pela precarização do Governo do Estado com os hospitais estaduais do Rio Grande do Norte. O hospital Deoclécio Marques está aguardando há anos por uma reforma inacabada. Será que é preciso aconceter o pior para a gestão e a governadora Fátima tomarem as devidas providências? Hoje foi um acidente e amanhã?", declarou Thelma Ribeiro, diretora do Sindsaúde RN.

Infelizmente, o sucateamento da saúde não é só no hospital Deoclécio Marques. A situação de calamidade na saúde do Estado vem se arrastando há anos e abrange todos os hospitais do estado, principalmente os do interior. Só entre 2017 e 2018 o RN esteve sob decreto de calamidade na saúde pública por três vezes consecutivas. Durante o governo Robinson Faria (PSD) se fechou hospitais, como o hospital da Polícia, em Mossoró/RN e diversos leitos de UTI.

Agora, a governadora Fátima Bezerra vem seguindo a mesma política. Ameaçando fechar o hospital Ruy Pereira e agravando a situação da saúde. Os corredores dos hospitais continuam superlotados, a infraestrutura está desgastada, falta equipamentos e remédios nas unidades de saúde. Os servidores continuam trabalhando com os salários atrasados, o défict de profissionais da área é grande e gera a precarização no atendimento prestado à população."

Não vamos aceitar esse ataque de conjunto ao SUS e à saúde pública, que visa privatizar, terceirizar e sucatear ainda mais o atendimento público de saúde. É necessário cercar de solidariedade a greve dos trabalhadores municipais da saúde!

Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos e nos colocamos a serviço de denunciar essas condições absurdas.




Tópicos relacionados

Fátima Bezerra (PT)   /    Natal   /    Nordeste   /    Sociedade   /    Saúde

Comentários

Comentar