×

CORRUPÇÃO NAS VACINAS | TCU vê indícios de fraude no investimento de R$40 milhões envolvendo sócio da Precisa

Empresa Global Gestão em Saúde, sócia da Precisa, investigada no caso Covaxin, teria recebido aporte de R$40 milhões vindo do Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios

quarta-feira 30 de junho | Edição do dia

Foto: Vishal Bhatnagar/NurPhoto

O Tribunal de Contas da União cita em um relatório a existência de indícios de fraude no investimento de R$ 40 milhões do Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios, na Global Gestão em Saúde, sócia da Precisa, empresa investigada por suspeitas no contrato de compra das vacinas Covaxin. Segundo o relatório "há dúvidas acerca do real valor das ações" da empresa, que tem como sócio Francisco Maximiano, que será ouvido pela CPI da Covid.

Pode te interessar: BOMBA: Governo Bolsonaro pediu propina de U$ 1 a dose, afirma vendedor da Astrazeneca

Os valores investidos foram contabilizados como perda pelo Postalis e o TCU quer saber quais são os “atores envolvidos” na liberação do aporte no FIP Saúde, que repassou o dinheiro à Global e causou prejuízo ao fundo de pensão. O TCU cita no processo que a Global é investigada pelo Ministério Público Federal no caso das compras de medicamentos de alto custo pelo Ministério da Saúde na gestão de Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo Bolsonaro.

Leia também: Após escândalo da Covaxin, governo decide suspender contrato com vacina indiana

As suspeitas sobre os investimentos na Global também foram encaminhadas pelo TCU às forças-tarefas Greenfield e Postalis, responsáveis pelas investigações criminais de casos de desvios nos fundos de pensão de servidores de empresas públicas.

Veja também: Emails oficiais mostram que governo Bolsonaro negociou com empresa que denuncia propina para compra de vacinas

Mais um escândalo de suspeita de corrupção vindo desse governo, agora envolvendo o fundo de pensão de uma empresa pública como os "Correios", mas que é parte do plano de descarregar a crise sanitária e pandêmica nas costas dos trabalhadores.

Leia mais: Empresário que negociou Covaxin é investigado por contratos com Petrobras, Correios e governo do DF




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias