Mundo Operário

PARALISAÇÃO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA USP

"Nós queríamos a vacina pra todos" defende trabalhadora na paralisação do Hospital da USP

Hoje, na paralisação do Hospital Universitário da USP, o Esquerda Diário entrevistou funcionárias que mostraram toda solidariedade com suas companheiras e companheiros de trabalho diante do descaso da direção do hospital, da reitoria da USP e dos governos, que negam a vacinação para a maioria dos funcionários do hospital.

segunda-feira 1º de fevereiro| Edição do dia

Veja mais: Trabalhadores do Hospital da USP aprovam paralisação até que todos sejam vacinados

“Eu sou funcionária do HU, eu já tomei a vacina mas eu estou aqui na linha de frente da greve pra sensibilizar o superintendente, os chefes da unidade, que a vacina é pra todo mundo, independente se é funcionário terceirizado ou não, todos tem o direito de receber a vacina”, disse uma das trabalhadoras que participa da mobilização. Ela também criticou as regras arbitrárias sobre os critérios de escolha da superintendência para decidir quem será vacinado.

“Já tem uma semana e só algumas pessoas foram vacinadas, UTI, PS e a agora eles tão chamando quem tem comorbidade né. Então quem já foi vacinado fala que tá feliz? Não tá né, nós queríamos a vacina pra todos juntos, e por isso que estamos aqui hoje, pra que isso aconteça o quanto antes, né.” Afirmou outra trabalhadora.

Outra funcionária, idosa e hipertensa, que foi obrigada a trabalhar durante toda a pandemia e correu o risco de vida direto ao contrair Covid-19, conseguiu a vacina em outra instituição. Ela estava na manifestação em solidariedade às suas companheiras e trabalho que estão sendo excluídas da vacinação pela diretoria do hospital, pela reitoria da USP e os governos de João Doria e Bruno Covas

É um exemplo de solidariedade e união da categoria a postura dessas funcionárias, que mesmo já tendo garantido a sua imunização, estão na linha de frente e participam da greve, em defesa de suas colegas de trabalho. Demonstram que não aceitam a divisão imposta pelos patrões entre efetivos e terceirizados, e por isso lutam para que todos os funcionários do hospital sejam vacinados.

Vacina a todos, efetivos e terceirizados! Liberação do grupo de risco e contratação emergencial! Acompanhe a mobilização dos funcionários do Hospital da USP.

Por isso, nós do Esquerda Diário estivemos presentes prestando nossa solidariedade, na demanda de vacina para todos os setores do Hospital Universitário da USP, assim como a liberação dos grupos de risco e a contratação emergencial de funcionários.




Tópicos relacionados

Vacina contra a covid-19   /    Vacina   /    Vacinação   /    Hospital Universitário da USP   /    Greve   /    Saúde   /    USP   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar