×

Petrobrás | Sindicatos petroleiros vendem botijão de gás a R$73 denunciando roubo da cobrança em dólar

Este “Dia Nacional do Gás a Preço sem PPI” é uma forma de denunciar a política de preços da Petrobras, que transfere para o consumidor interno os custos do barril de petróleo no mercado internacional e da cotação do dólar, com o objetivo de enriquecer acionistas, que são na maioria estrangeiros. Para isso, todo o povo brasileiro paga a conta através dos altos preços. Os petroleiros também pagam com a crescente falta de pessoal, aumento da terceirização, um enorme cansaço com a sobrecarga de trabalho que tem resultado num crescente número de acidentes de trabalho. Essa precarização está a serviço justamente de abrir caminho para a privatização dos ativos e por via das ações, já que apesar do controle votante estar nas mãos do governo, este atua em benefício dos acionistas.

quinta-feira 14 de abril | Edição do dia

Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

Apontamento feito entre os dias 3 e 9 de abril pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, mostra que em alguns municípios de Santa Catarina, Mato Grosso, Rondônia e Pará, o botijão de 13 quilos estava sendo vendido a 150 reais. Além disso, desde 2015, houve um aumento de 173% entre os desempregados de longo prazo, vivemos hoje um período de enorme inflação dos alimento, onde uma cesta básica pode chegar a R$1.090,00, como no ABC Paulista obrigando os trabalhadores a cozinhar com lenha e álcool, o que fez aumentar os casos de acidente. Como ocorreu com a jovem Angélica Rodrigues que teve 85% de seu corpo queimado enquanto cozinhava com álcool e não resistiu aos ferimentos. A morte de Angélica, assim como de tantos outros que não são publicados nas mídias, é o retrato obscuro da irracionalidade capitalista. Com a vida dos trabalhadores e da população, Bolsonaro, Guedes e companhia não se importam e expressam cotidianamente que seu objetivo é garantir os lucros dos capitalistas.
No ano passado, na guerra contra os governadores, Bolsonaro responsabilizou o valor do frete, o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos Estados e a margem de lucro dos vendedores como causadores do alto preço do gás:

O preço médio de um botijão de 13 kg lá onde ele é engarrafado é R$ 45. Imposto Federal: Zero. Então chega a 100, 110 como basicamente, é o ICMS, mas o preço do transporte a margem de lucro”.

E alegou que se tivesse dos governadores o gás poderia pudesse ser vendido a R$ 60, R$ 70 reais no máximo, sendo ainda assim caro para os trabalhadores e trabalhadoras as propostas de preço do presidente.
Em comunicado divulgado pela FNP, Eric Gil Dantas (economista do OSP e do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais) afirma que “o preço sem PPI (Preço de Paridade de Importação)” é necessário e possível de ser praticado” e permitiria a venda do gás de cozinha por um valor muito mais barato.
Essa iniciativa da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) poderia ser acompanhada de um chamado aos sindicatos da FUP para que também participassem dessas ações como ponto de partida para que os sindicatos e Federações avançassem na organização, de forma unitária, de um movimento nacional dos petroleiros, junto à população e demais categorias, pela redução dos preços dos combustíveis e gás de cozinha.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias