Política

Sérgio Moro é chamado pela PF para depor sobre atos de extrema-direita do bolsonarismo

Sérgio Moro foi chamado pela PF para depor sobre manifestações do bolsonarismo que pediam fechamento do Congresso e do STF durante a pandemia, por ser, na época, Ministro de Justiça e Segurança Pública do Governo Federal.

sexta-feira 18 de setembro| Edição do dia

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

A convocação de Moro para depor, diferente da de Carlos Bolsonaro, filho do presidente, não foi feita a pedido da PGR de Augusto Aras, mas feito pela própria PF.

Moro fará depoimento em posição de testemunha, no inquérito relatado pelo ministro Alexandre de Moraes no STF.

Bolsonaro tenta, nas últimas semanas, recursos jurídicos para evitar depor presencialmente, e o fazer por escrito, como outros presidentes já fizeram em inquéritos. A diferença é que presidentes anteriores depuseram como testemunha e não como acusados.

O inquérito de Alexandre de Moraes aberto em abril, carrega a marca de um momento em que os conflitos entre os poderes eram muito maiores do que hoje, num cenário de pacto entre Bolsonaro, Militares, Congresso e STF em nome de avançar com ajustes econômicos, como a Reforma Administrativas. Ficou marcado também por combater o autoritarismo de Bolsonaro com medidas também autoritárias de censura.

O depoimento de Moro está marcado para dia 2 de outubro, e agora fica a expectativa para saber o tom que levará para o STF o ex-ministro de Bolsonaro, que foi fiel ao presidente enquanto ocupava seu cargo, mas saiu atirando em Bolsonaro com diversas armas.




Tópicos relacionados

bolsonarismo   /    Governo Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Alexandre de Moraes   /    Jair Bolsonaro   /    STF   /    Sérgio Moro   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar