ELEIÇÕES EUA

Sem dados definitivos e em meio à apuração, Trump fala em "fraude" e pede intervenção da Suprema Corte

O presidente Donald Trump se declarou vencedor da eleição americana na madrugada desta quarta (4), mesmo antes do encerramento da apuração dos votos, e simbolizou a crise política monumental em meio à decadência imperialista dos Estados Unidos.

quarta-feira 4 de novembro| Edição do dia

Em discurso dentro da Casa Branca, sede do governo americano, o presidente repetiu que levaria a disputa à Justiça e afirmou que a contagem dos votos deveria parar.

"Eles sabiam que não poderiam vencer e disseram ’Vamos à Suprema Corte’", disse o republicando em referência aos opositores democratas. A tese de Trump é que os adversários tentam fraudar a eleição com o estímulo ao voto por correio, que bateu recorde neste ano por causa da pandemia.

"Isso é uma enorme fraude. É uma vergonha para o nosso país. Francamente, nós ganhamos esta eleição."

"Nós vamos à Suprema Corte, queremos que todos os votos parem, não queremos que os votos sejam encontrados até as 4 da manhã. É um momento triste"​, completou.

Trump fez um discurso em que foi escalando o tom. Primeiro, comemorou a vitória em estados como Flórida, Ohio e Texas, onde as projeções já mostram que o republicano venceu.

Depois, disse que ganhou na Geórgia e na Carolina do Norte, onde os resultados ainda não haviam sido confirmados, e disse que estava ganhando na Pensilvânia, estado que deve decidir a eleição, mas onde os votos por correspondência podem ser contados até o fim da semana.

Por fim, alegou que havia vencido —ainda que a apuração não tenha sido finalizada.

"Isso é uma fraude, uma vergonha para o nosso país", afirmou o presidente sobre a contagem de votos que envolve as cédulas enviadas por correio.

A vitória autodeclarada, porém, não tem validade legal, e a disputa à Casa Branca permanece indefinida, com votos ainda sendo contados na maior parte dos estados.

Os primeiros resultados da noite desta terça-feira (3) pareciam abrir caminho para Trump seguir na disputa à reeleição e mostravam que a corrida não teria ampla vantagem para Biden, ao contrário do que mostravam as pesquisas.

Entre os estados considerados mais competitivos, Trump ganhou Flórida, Ohio, Texas e Iowa, segundo as projeções. Biden, por sua vez, levou Arizona, Minnesota e New Hempshire, e a disputa virou, mais uma vez para o Meio-Oeste, onde há muitos votos por correio que ainda não foram contados.

Até 5h desta quarta (hora de Brasília), com as primeiras projeções, o democrata Biden acumulava, segundo o jornal New York Times e a agência de notícias Associated Press, 225 dos 270 votos necessários no Colégio Eleitoral americano.

O republicano Trump, por sua vez, somava 213 pontos. E continuavam indefinidos 9 dos 50 estados.

A apuração ainda segue nos Estados-chave de Michigan, Wisconsin, Pensilvânia, que definem as eleições de 2020.

Em desenvolvimento




Tópicos relacionados

Eleições Estados Unidos 2020   /    Joe Biden   /    Estados Unidos   /    Donald Trump

Comentários

Comentar