Política

BOLSONARISMO

Secretário da Cultura de Bolsonaro anda armado e intimida com gritos e ofensas funcionários da pasta

Denúncias vieram à tona nesta terça e falam de “clima de DOI-CODI” [aparelho de repressão da ditadura] sobre servidores e terceirizados, imposto pelo secretário especial da Cultura de Bolsonaro, Mário Frias.

terça-feira 25 de maio| Edição do dia

Imagem: Reprodução

Nesta terça, 25, matéria do portal SPLASH/UOL trouxe à público uma série de denúncias anônimas que apontam as práticas intimidatórias do secretário especial da Cultura de Bolsonaro, Mário Frias, sobre os funcionários da pasta.

Veja também: Secretário negacionista Mario Frias compara medidas contra a Covid ao holocausto

As denúncias apontam que o secretário é conhecido por andar cotidianamente com sua arma sempre à mostra no ambiente de trabalho, e que são recorrentes os “escândalos e ofensas” aos gritos dirigidos contra os servidores e terceirizados da pasta. Servidores relatam clima de constante tensão e ameaças, chegando até mesmo a haver comparações com um “clima de DOI-CODI” [aparelho de repressão da ditadura] com perseguição a servidores, promovido pelo secretário.

Notícias relacionadas:
Perseguição reacionária: Secretaria da Cultura cria dossiê para exonerar servidores de esquerda




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    bolsonarismo   /    Ministério da Cultura    /    Governo Bolsonaro   /    cultura   /    Política

Comentários

Comentar