×

Caso Miguel | Sarí Corte Real é ouvida hoje na 2ª audiência do caso Miguel. Queremos justiça por Miguel!

Sarí Gaspar Corte Real, acusada por abandono de incapaz que resultou na morte do menino Miguel Otávio, em junho de 2020, é interrogada hoje pela justiça na 1ª Vara de Crimes Contra a Criança e o Adolescente do Recife. Mirtes Renata, mãe de Miguel, segue em uma incansável luta por justiça por seu filho. Nós do Esquerda Diário prestamos todo nosso apoio a Mirtes e sua família, sem ter ilusão nenhuma nesse judiciário racista, pois sabemos que só conseguiremos justiça por Miguel confiando apenas na força da nossa mobilização. Justiça por Miguel!

quarta-feira 15 de setembro | Edição do dia

Foto: Reprodução/Facebook

Na segunda audiência do caso, a ex-primeira dama de Tamandaré (PE) será ouvida pelas autoridades e prestará explicações sobre sua conduta no dia do fato. Em dezembro, na primeira audiência, a defesa de Sarí tentou responsabilizar Miguel, uma criança de apenas 5 anos, pela sua própria morte.

Miguel estava aos cuidados da patroa de sua mãe quando caiu do nono andar de um prédio de luxo, enquanto sua mãe, a empregada doméstica Mirtes Renata, passeava com o cachorro da patroa. Mirtes, assim como outras milhares de trabalhadoras domésticas que não foram dispensadas em meio a pandemia, foi obrigada a ir trabalhar, mesmo com o risco de se expor ao Covid-19. E assim como muitas mães que não tem com quem deixar os seus filhos enquanto trabalham, Mirtes teve que levá-lo consigo.

"Os planos que eu fazia para o meu filho foi interrompido". Veja abaixo emocionante video postado em rede social de Mirtes Renata:

Vale lembrar que o Bolsonaro havia decretado naquele momento que o trabalho doméstico era serviço essencial; e o governador do Estado de Pernambuco, Paulo Câmara(PSB), acatou.

Sarí Corte Real pertence à elite política pernambucana, e também era primeira dama de Tamandaré (PE). Ela é casada com Sérgio Hacker que, na época, era prefeito da cidade, e que também é do PSB de Paulo Câmara.

Pode te interessar: 20 trabalhadores são resgatados em situação análoga à escravidão em obra em Tamandaré (PE)

A patroa, presa em flagrante, pagou a fiança e desde então vem respondendo em liberdade. Mas nós sabemos que se a situação fosse inversa, Mirtes, uma mulher negra, trabalhadora e pobre, estaria presa.

Veja também: Feminicídio de mulheres negras aumentou na última década

Durante todo esse tempo, Mirtes vem seguindo em uma incansável luta por justiça por seu filho. E é preciso que as organizações e os movimentos sociais da esquerda e da classe trabalhadora tomem essa luta em suas mãos, assim como também a luta por justiça por cada criança e cada pessoa morta pela violência racista, que quando não são mortas pelas balas da polícia, morrem de fome, de covid, ou pelo descaso como foi o caso de Miguel.

Veja mais: Quilombola é amarrado e espancado por comerciante bolsonarista no RN

A luta contra o racismo da elite escravocrata brasileira, é luta de classe, pois nós sabemos que a justiça burguesa é racista e tem classe, e o caso de Miguel é um exemplo disso: são várias arbitrariedades no processo que escancaram o privilégio da patroa e por isso sabemos que só é possível conquistar Justiça por Miguel com a nossa força, dos trabalhadores, dxs negrxs e demais setores oprimidos.

Nós do Esquerda Diário prestamos todo nosso apoio a Mirtes e sua família, sem ter ilusão nenhuma nesse judiciário racista, pois sabemos que só conseguiremos justiça por Miguel confiando apenas na força da nossa mobilização e da nossa unidade.

Justiça por Miguel!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias