Mundo Operário

DEMISSÕES

Santander demite funcionários prestes a se aposentar e em retorno de licença médica

O Banco que lucrou até R$ 7 bilhões nos seis primeiros meses do ano, Santander, ataca os próprios funcionários em prática de demissões abusivas em período de pré-aposentadoria e até mesmo em retorno de doença.

quarta-feira 16 de outubro| Edição do dia

O banco Santander está realizando demissões abusivas de seus funcionários em período de estabilidade do pré-aposentadoria, previsto em cláusula na convenção coletiva dos bancários (cláusula 27, que trata das estabilidades provisórias de emprego), além de demitir funcionários de retorno após doença. Relatos de uma funcionária demitida, publicado pelo site do sindicato dos bancários do ABC (CUT), chega a contar como uma das trabalhadoras de São Caetano (São Paulo) foi demitida após 22 anos de serviço na empresa, faltando apenas 4 meses para a aposentadoria sob a alegação de que a trabalhadora não havia feito a notificação no prazo previsto. Segundo a mesma, “Ela procurou o RH do banco justamente para saber como deveria proceder, e a resposta foi demissão.”

Após isso, mais funcionários foram demitidos em condições absurdas como retorno de doença e também a demissão de funcionários com salários mais altos para contratação de novos funcionários com salários menores, mas não existe uma estimativa do sindicato, pois o mesmo não homologa mais as demissões desde a reforma trabalhista. amparada em brechas e articulações esdrúxulas, permitidas após a reforma trabalhista, o banco segue fazendo demissões cruéis e piorando o ambiente de trabalho para os remanescentes com metas de trabalho abusivas e precarização das condições de trabalho, mesmo sendo uma das entidades que mais lucra no país. O posicionamento das entidades sindicais, em sua maioria da CUT, segue sendo de tentativas fracassadas de negociações com o próprio banco, este que por sua vez segue ignorando e adiando reuniões sindicais enquanto segue fazendo demissões abusivas e humilhando os trabalhadores que não possuem mais segurança em sua carreira de trabalho (muitas delas de muitos anos) e nem mesmo a garantia da sua aposentadoria.

Rechaçamos a precarização e as demissões humilhantes dos trabalhadores bancários por parte do Santander, uma das empresas que mais lucram no país em cima de taxa de juros e endividamento da população e principalmente através da dívida pública, uma dívida totalmente ilegal e fraudulenta que serve para saquear trilhões de reais por ano dos cofres públicos, um dinheiro que é fruto do trabalho de toda a classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Bancos   /    Demissões   /    Dívida pública   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar