Sociedade

Salles quer transformar Museu do Meio Ambiente em hotel de luxo

Ricardo Salles visitou o mais antigo Jardim Botânico da América Latina na segunda-feira passada, 30/11, e decidiu que o prédio que hoje abriga o Museu do Meio Ambiente, fundado do século XIX, será concessionado à iniciativa privada. Sua ideia é que Rio de Janeiro ganhe um "hotel-boutique" em pleno Jardim Botânico.

terça-feira 8 de dezembro de 2020| Edição do dia

Ricardo Salles demonstra mais uma vez que deseja continuar a “passar a boiada” no meio ambiente para garantir os interesses dos grandes latifundiários e empresários, como Joseph Safra, um dos grandes capitalistas do agronegócio, que enriqueceu e fez uma fortuna de bilhões, enquanto trabalhadores não podiam comprar sequer um saco de arroz.

Agora, para coroar este fim de ano do governo Bolsonaro, Salles está na empreitada de transformar o Museu do Ambiente do Rio de Janeiro, localizado no Jardim Botânico, em um playground da iniciativa privada. Ele quer transformá-lo em um hotel de luxo para que apenas um grupo seleto que possa usufruir do “lazer e conforto” do Jardim Botânico. Uma clara convergência do ministério do Meio Ambiente com a ótica neoliberal de Paulo Guedes, cujo interesse é entregar todas empresas estatais para o capital privado (como tentou fazer com os Correios), explorando e precarizando os serviços, bem como privar os mais pobres de patrimônios públicos culturais pela privatização.

Uma petição online foi organizada para barrar mais esse ataque de Ricardo Salles: acesse aqui.




Tópicos relacionados

Ricardo Salles   /    Ministério do Meio Ambiente   /    Privatização   /    Sociedade   /    Meio Ambiente   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar