Educação

GRUPO DE ESTUDOS

Rosa Luxemburgo, Literatura e Educação: Participe dos grupos de estudos da Faísca na USP

Nós da juventude Faísca e do grupo de mulheres Pão e Rosas estamos organizando grupos de estudos na Universidade de São Paulo para discutir com os estudantes diferentes temas a partir da perspectiva marxista e de grandes teóricos desta tradição.

quinta-feira 21 de março| Edição do dia

Essa semana lançamos o grupo de estudos Rosa Luxemburgo: A Águia da Revolução no curso de Ciências Sociais da USP para discutir sobre a vida e a obra da maior dirigente revolucionária mulher na história do movimento socialista internacional, passando por temas como “Reforma ou Revolução”, as revoluções na Rússia e na Alemanha, o fenômeno da greve de massas e seu impacto no proletariado internacional, os debates dentro da Social Democracia Alemã e a Primeira Guerra Mundial. Esse grupo de estudos vai seguir ao longo das próximas semanas e chamamos todos a conhecerem e debaterem conosco.

No curso de Letras com o grupo de estudos Cultura e Marxismo daremos continuidade ao ciclo de debates relacionados a visão marxista da teoria e da crítica literária, o caráter de classe presente nas obras literárias e nas artes de maneira mais geral. No ano em que se completam 180 anos do nascimento de Machado de Assis pretendemos organizar um ciclo de discussões sobre esse que é o maior autor da literatura brasileira, um dos mais consagrados autores da literatura mundial, e tem suas obras atravessadas por grandes temas da história no Brasil como sua crítica a escravidão, a formação da sociedade colonial no Brasil e seus resquícios nos dias de hoje e a desigualdade que é gerada pelo capitalismo.

E na Faculdade de Educação lançaremos o grupo de estudos Educação e Marxismo visando aprofundar em autores que tiveram uma contribuição histórica para a pedagogia e educação como Vygotsky, o processo de alfabetização massiva de trabalhadores na União Soviética, Krupskaya e suas contribuições sobre a relação entre o trabalho e o ensino para pensar uma educação politécnica numa sociedade que estabeleceu um outro tipo de relação com o trabalho. Buscando inclusive colocar em debate sobre qual o tipo de educação que queremos e o caráter mercadológico que ela adquire dentro do capitalismo, onde as escolas acabam servindo como preparação para as crianças se tornarem futuros explorados e seguidores de uma ideologia da classe dominante, discutindo Gramsci e suas contribuições para pensar nesse viés de classe dessa instituição.

Em tempos de Escola sem Partido e do avanço do reacionarismo e obscurantismo trazidos no discurso dessa extrema direita que se fortaleceu no processo das eleições completamente manipuladas pelo judiciário no ano passado é fundamental que nos apropriemos das discussões sobre educação, sobre arte e literatura que querem acabar a todo custo e resgatar a tradição do marxismo revolucionário para pensar as batalhas travadas no passado e as lições que podemos tirar para os dias atuais. Convidamos todos a conhecerem, construírem e debaterem conosco essas grandes ideias nesses grupos de estudos da juventude Faísca que seguirão acontecendo nas próximas semanas.




Tópicos relacionados

FEUSP   /    FFLCH   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista   /    Educação   /    USP   /    São Paulo (capital)   /    Teoria   /    Cultura   /    Juventude

Comentários

Comentar