Política

Rodrigo Maia tem pressa em aprovar mais ataques aos trabalhadores

Nesta segunda (9), Rodrigo Maia (DEM-RJ) em entrevista à CNN declarou que se as reformas não forem aprovadas até janeiro o Brasil vai explodir, segundo Rodrigo Maia, é preciso aprovar as reformas por conta de uma previsão do aumento do dólar e o endividamento das riquezas do Brasil.

terça-feira 10 de novembro| Edição do dia

Foto: Fátima Meira/Futura Press

Rodrigo Maia do DEM, foi uma das principais figuras políticas do país responsáveis pelo avanço da reforma da previdência, desejando para o conjunto da classe trabalhadora que trabalhem até morrer, sem ter seus direitos mínimos garantidos.

Enquanto Rodrigo Maia sinaliza aos empresários, deixando bem claro seu jogo de interesses, empurra para a classe trabalhadora uma vida e precarização, exploração e miséria.

Bolsonaro, Congresso, Senado e STJ usam a aprovação das reformas como solução para a crise, mas na realidade o que eles querem é que a classe trabalhadora e a juventude paguem por ela.

O governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro, administrador do regime herdeiro do golpe institucional, busca, em aliança com o centrão avançar com medidas anti populares de ataques à classe trabalhadora.

Enquanto Maia faz demagogia com as nossas vidas, ameaça que e não aprovarem as reformas teremos uma queda na economia. A questão é que a economia está em frangalhos e a realidade nos mostra que nenhuma reforma é capaz de dar uma resposta a crise, e sim fazer com que sejam os trabalhadores que paguem por ela.

Rodrigo Maia, Bolsonaro e todo seu governo de conjunto são inimigos dos trabalhadores. Não podemos ter nenhuma ilusão nesse regime pós golpe. A unica forma de revogar todas as reformas e buscar uma saída dos trabalhadores para a crise é através da força da mobilização, da auto-organização dos trabalhadores e da juventude em cada local de trabalho de estudo




Tópicos relacionados

Reforma   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Governo Bolsonaro   /    Rodrigo Maia   /    Política

Comentários

Comentar