×

ED RODOVIÁRIOS | Rodoviário Digão, demitido por defender a categoria, será readmitido após decisão unânime

Por 14 votos a 0 justiça concede liminar para a readmissão do Digão! Não menos que pela força da luta dos trabalhadores rodoviários que estiveram de alguma forma ao lado do Digão nesses onze meses de luta, resiliência e persistência, pelo trabalho dos seus advogados a quem o próprio Digão faz questão de que fossem mencionados nesse artigo. Digão está de volta!

terça-feira 13 de julho | Edição do dia

A patronal da empresa Tinga, junto do sindicato da categoria, fizeram um plebiscito fraudulento para aplicar as MPs da morte de Bolsonaro nas garagens de Porto Alegre. Digão foi linha de frente em denunciar todo esse absurdo. Como retaliação absurda por parte da patronal foi demitido por justa causa. Prontamente seus colegas rodoviários da Tinga se mobilizaram, cruzaram os braços no dia posterior e foram vários dias para frente do sindicato exigir a suspensão do plebiscito e a readmissão do Digão. Nós do Esquerda Diário fomos parte de impulsionar uma fortecampanha pela readmissão do Digão que tomou as redes.

A decisão da justiça depois de todo esse longo tempo não é apenas pela reintegração do Digão na planta da empresa, como também contra as fraudes no plebiscito. A ação foi aberta pelo próprio rodoviário, que também ganhou essa ação em primeira instância.

Não foram poucos os momentos de dificuldade, tampouco as pressões materiais que colocavam este trabalhador na condição difícil de ter de se virar para sobreviver ao momento difícil que passou. O fato é que Digão volta nos braços dos rodoviários que nunca recuaram em acreditar na injustiça que sofreu Digão.

Veja também: Pela unidade de rodoviários e população contra Melo, os empresários e seus ataques

Não é novidade que Rodrigo Almeida (Digão) vinha sendo perseguido na garagem Tinga/Trevo ao longo de quase 10 anos. Sobretudo após a greve de 2014, Digão se consolidou não só como uma liderança na garagem da Tinga, hoje dividindo espaço na garagem Trevo, mas se tornou um nome reconhecido e respeitado na categoria.

Disputou a direção do sindicato, se enfrentou com a patronal da cidade, foi eleito delegado sindical por diversas vezes na garagem, sempre com larga vantagem. Tudo isso atuando sempre junto com os trabalhadores, trazendo todos que pôde para fazer parte do movimento que sempre buscou manter mesmo nos períodos de brutal ataque na categoria.

A patronal perde mais uma. Perde porque a força da mobilização operária se impõe e coloca em xeque as ações traiçoeiras desta patronal imunda, do sindicato omisso e pressiona a Justiça a fazer o mínimo que é reestabelecer o posto de trabalho de quem foi perseguido por lutar.

Digão está de volta, e assim como se negou a fazer acordo judicial com a empresa diante de um momento difícil que passou, muito menos o fará agora, que volta de forma heroica e emocionante, nos braços de seus colegas e num momento tão imprescindível pra organização e luta da categoria rodoviária.

A volta do Digão nos anima, entusiasma, nos emociona, nos faz ir às lágrimas, e enche a todos nós de coragem pra seguir lutando.

O Esquerda Diário esteve com Digão desde o momento da sua demissão. Levantamos a campanha por sua readmissão para diversos estados do país, contando com o apoio diversas figuras da política e dos movimentos sociais que participaram conosco dessa luta em defesa do companheiro.

A sentença definitiva deverá sair em breve. Mesmo que em primeiro grau Digão possa ser derrotado na justiça, em segundo grau poderá ter uma sentença favorável e reestabelecer o resultado de agora. Afinal, o tribunal foi unânime nesta liminar, um indicativo de que nada existe contra o Digão e tudo foi mesmo parte de um golpe rasteiro e sujo da patronal que vive de atacar os trabalhadores desde sempre.

Em breve vamos concentrar em frente a garagem para receber Digão. Acompanhe pelo Esquerda Diário as novidades do caso, na medida que forem chegando as informações.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias